Minho Reggae Splash 2016

minho-reggae-2016

Chega a sétima edição do festival de música reggae mais conhecido no país: o Minho Reggae Splash.

Habitualmente, aparecem no cartaz várias bandas de países lusófonos e este ano a tradição não se rompe.

  • No dia 2 de setembro chegarão a Tominho no palco Dub Corner:

Junior Dread. Este brasileiro representa a nova geração da música reggae. Com músicas gravadas em português e inglês destaca-se e atravessa fronteiras.

Em 2011 lançou a música e o videoclipe “Não deixe de lutar”  com participação de Gustavo “Black Alien”, um dos artistas mais respeitados na cena do Rap no Brasil e aí a carreira do Junior Dread nunca parou de bombar.

Ouvi hoje a canção do Menino e gostei muito, na verdade. Tem aquele toque Natiruts.

Real Rockers. Real Rockers não é bem uma banda de reggae, Real Rockers é um movimento criado na cidade do Porto que foi criado com o intuito de dar valor e rotina à cultura Reggae Roots & Dub na invicta. Podemos definir o Real Rockers como uma união de músicos e produtores que promovem os ritmos da era dourada do rub-a-dub.

  • No sábado 3 de setembro, no palco das bandas:

Angatu. Angatu é uma banda brasileira formada por ex-integrantes da Cultivo. Estamos a falar de uma das mais novas bandas de reggae de Florianópolis.

Estes músicos lançaram em 2014 o seu primeiro CD, A vida que eu sempre quis, um disco todo com músicas originais e também participações vocais das jamaicanas Kim Pommell e Shareda S. Sharpe (Groundation) e dos gaúchos Pablo “See a Rasta” (Rutera), Leonardo “Frodo” Barbosa (Brilho da Lata), Fyah Rocha e Danilo Beccaccia.

Então, vamos lá?

 

 

Minhoreggae 2015

MINHO-REGGAE-Splash-2015-en-Espacio-FortalezaAparece por aí nalguma conversa a pergunta de “Quais são os géneros musicais que mais gostas?” e eu tenho uma única resposta: gosto muito de todos os géneros que começam por R, exceto reggaeton. Rock, rumba, rap, R&B…e reggae fazem uma playlist variada.

No próximo fim de semana há uma concentração de eventos que vou dosear, mas tentarei informar de todos. Já falámos do Festival de Poesia no Condado e agora é a vez do Minhoreggae, um festival veterano entre os nossos post.

Gosto muito de reggae. Aquilo começou em criança com os Kussondulola e chegou até hoje com o Rappa ou Richie Campbell. É tão bom que existam festivais assim na Galiza! propostas musicais diferentes às das rádio-fórmulas.

Deixo-vos então com duas propostas lusopatas.

Na sexta dia 4, pelas 23h30, chegam a Tominho os Terra Prometida uma banda de Brasília que leva mais de dez anos nos palcos. Começaram primeiro por se chamar RastaFire, mas um ano depois misturaram o melhor do reggae com o melhor do Brasil e adotaram o nome atual. Uma caraterística inovadora e marcante é o revezamento dos vocalistas nas funções de backing vocal e voz principal. Com performances cativantes e aliciantes têm muitos prémios ganhos e sagraram-se já como um referente.

E no dia a seguir à 01h15 temos os Reggae a Semente (RaS), também uma banda brasiliense. Segundo a auto-descrição que eles fazem dizem que são fruto da união de amigos que tinham em comum o desejo de construir algo bom para o mundo com a música e a vontade de se aprofundar na espiritualidade da vida. Com originalidade e sensibilidade, a banda mantém-se fiel às fortes vibrações do reggae de raiz jamaicana, levando ao público composições próprias, influenciadas também pela música brasileira e géneros como Ska, Ragga, Dub e R&B.

Oh, Lord, oh, Lord, oh, Jah…o tempo sozinho dirá!