Falso amigo: oficina

oficina de carrosEste verão fui de férias a Lisboa com Blablacar. Para quem não souber, Blablacar é a maior plataforma de boleias da net. Uma pessoa que tem um carro e vai fazer uma viagem sozinha publica essa viagem na página. Outra pessoa que necessita ir a esse mesmo destino adere e viajam juntas partilhando despesas, músicas e conversas. Ótimo, pois não? decrescimento e novas amizades.

Eu fui numa viagem partilhada Vigo-Lisboa na ida. Viajei com um rapaz madrileno e ao fecharmos a mala do carro, não conseguíamos. O fecho estava estragado.

Na viagem gravei um ficheiro de áudio no telemóvel do rapaz a explicar o problema. Assim o madrileno-motorista só tinha que dar a reproduzir e o mecânico ia saber do problema. Achei engraçado o assunto esse da palavra “oficina”, porque para ele era uma confusão muito grande, estava a pensar em talher, claro. E daí a ideia de fazer este artigo.

Oficina é o local de uma atividade laboral, principalmente manual ou artesanal, tal como a que desenvolve um eletricista ou mecânico. E tem muita lógica, se pensarem bem, a palavra  “ofício” é da mesma família léxica. Usamos esta palavra em português para designar um lugar de trabalhos técnicos ou manuais, como mecânica, eletricidade, carpintaria e outros.

Quando o nosso carro estiver com problemas, levá-lo-emos à oficina para um conserto.

Figuradamente, refere ao lugar onde se verificam grandes transformações; um local ou sessões de encontros (meeting) entre profissionais e/ou estudantes para solução de problemas comuns: oficina de literatura; oficina de música; etc.

Falso amigo: talher

Diz o ditado português que “Grão a grão enche a galinha o papo”, um provérbio que reflete muito bem os ritmos da aprendizagem nisto do vocabulário.
Meus amigos e amigas, aos poucos aprendemos mais coisas do léxico português e, desta feita, a questão tem a ver com “encher o papo”, com efeito. Mas qual será o motivo?
A nossa palavra de hoje é talher. Este é um substantivo coletivo, muito usado no nosso dia a dia em cada refeição.
Os talheres são: o garfo, a faca e a colher. Eles variam de design, de acordo com o seu propósito e utilidade, como comer carne, peixe, sobremesa, tomar sopa, mexer o café etc. Este invento encheu de protocolo as nossas vidas.

Gostaram? podem comprar em: http://gisah.wordpress.com/talheres/talher-21/

E já agora, esta semana podem treinar as suas habilidades como chefes de cozinha. Amanhã têm uma “Oficina de cozinha vegan” em Compostela, ministrada pela portuense Cátia Faria. Se quiserem mais informação sobre data, local e hora é só carregar em Calendário. Encorajo vivamente a irem! É uma maneira simples, engraçada e saborosa de aprender mais vocabulário.

Podem experimentar entretanto os sabores deste tipo de culinária neste web, que oferece receitas de todo o tipo:
http://brazilnut-nyc.blogspot.com/

Quando se armarem em cozinheiros e cozinheiras a preceito, não esqueçam aliás a etiqueta e o protocolo com os talheres na mesa.

Bom apetite!