Falsos amigos sobre o Natal

Chegou uma das minhas épocas preferidas do ano. Estive a pensar na quantidade de falsos amigos que existem em volta desta festa. Será porque cada vez entram mais realidades modernas e a nossa língua na Galiza sofre mais esse choque.

Seja como for, noutros post explicamos algumas palavras de uso comum e tradições. Hoje vamos limitar-nos ao vocabulário que dá confusão com uma pequena compilação animada. São conceitos que podem aparecer na consoada, na troca de presentes, nas compras, nas férias…e onde normalmente a pressão do castelhano é maior.

Apresentamos um placar de cortiça com post-it, cada bilhete tem uma palavra escrita. Se carregarem mesmo no escrito podem ver o significado em língua portuguesa.

Se quiserem continuar a aprender mais, deixo-vos neste link um jogo de bingo com vocabulário natalino.

E se não me encontrarem por cá em dias…boas festas e boas entradas!

Falso amigo: salsa

A música cubana criou ritmos como o merengue, a cumbia e a salsa. Este último é uma mescla de ritmos afro-caribenhos, tais como o son montuno, o mambo, o cha cha cha, a charanga e a rumba. Isto, por enquanto, não cria confusões. Mas no âmbito da culinária, podem começar as dúvidas e as cenas bizarras.
A salsa é um dos temperos mais utilizados nas cozinhas portuguesas e brasileiras. A tradição atribui várias propriedades médicas para ela. Conta-se que é diurética, abre o apetite e afina o sangue.
Esta erva é usada, por exemplo, para fazer bolinhos de arroz e outros salgadinhos.

Então vamos lá, apanhem uma faca! (não para fazer a mítica cena do filme Psycho, mas para picar salsa). Vejam como podemos cortar com jeito para apresentar pratos com estilo.

O líquido em que se fazem ou com que se servem as iguarias é o molho. Molho béchamel, molho de soja, maionese, molho inglês…são deliciosos e muito populares. Se forem desajeitados na cozinha, podem dar uma vista de olhos a esta receita de molho de tomate caseiro:

mmmm! no Lusopatia estamos com água na boca!