Aniversário

Hoje o Lusopatia faz anos. É dia de festa e os nossos circuitos soltam faíscas!

Para festejar vamos deixar uma série de vocabulário útil:

  • aniversário, dia de anos, fazer anos: é o dia em que se completa um ou mais anos sobre a data de um acontecimento, pode ser o nascimento de uma pessoa, de uma entidade…Atenção! a expressão é FAZER ANOS, não é usado o verbo Cumprir para isto.
  • convites, convidar, convidados/as: se organizarmos uma festa, podemos enviar convites ou dá-los aos nossos convidados.
  • prendas, presentes: são as coisas oferecidas. Quando queremos poupar um bocado e dar presentes entre um grupo, podemos fazer o jogo do amigo oculto e manter o nosso anonimato.
  • na mesa pode haver copos, guardanapos, pratos, faca, colher, garfo, toalha de mesa…
  • o prato fundamental de uma festa de aniversário é o bolo, normalmente vai acompanhado de velas. Sopramos as velas e depois cantamos Parabéns pra você. No Brasil a canção é ainda mais interminável…O título da canção tem a ver com aquilo que dizemos às pessoas aniversariantes: Parabéns!
  • a sala pode estar enfeitada com guirlandas, balões, luzes

Temos agora mais um ano. Mas não nos sentimos velhos. Velhos são os trapos!

Vai ou Vá?

vaiOs verbos IR e VIR são desses que não são muito fáceis de assimilar. Só com a prática e com o tempo é que chegamos a conjugar bem porque são muito irregulares.

Hoje vou falar-vos do verbo IR no Presente de Indicativo e Conjuntivo.

Cada vez que explico o verbo IR no Presente de Indicativo, parece não haver dúvidas. É só memorizarmos dois pormenores ortográficos e parece que chega. A dificuldade vem quando aprendemos o Conjuntivo. Aí parece que não há suficiente espaço no nosso disco rígido para os dois e chegam as confusões.

Vou colocar os dois paradigmas:

PRESENTE DO INDICATIVO
EU VOU
TU VAIS
ELE/A VAI
NÓS VAMOS
VOCÊS, ELES/AS VÃO

 

PRESENTE DO CONJUNTIVO

EU VÁ
TU VÁS
ELE/A VÁ
NÓS VAMOS
VOCÊS, ELES/AS VÃO

 

O Indicativo e Conjuntivo são quase idênticos para este verbo e temos que aprender que estruturas vão pedir cada forma.

  • O modo indicativo é o modo da realidade, apresenta a ação verbal como um facto, no plano da certeza e da verdade.

Eu vou a pé todos os dias ao trabalho, mas ela vai de carro.

  • O modo conjuntivo é o modo semanticamente oposto ao indicativo. É o modo da irrealidade, do não realizado, da incerteza, da possibilidade, da dúvida, da suposição, da condição, do desejo. Que conetores vão pedir este modo obrigatoriamente?
    • Há quem…: há quem vá ao estrangeiro para aprender inglês, mas eu prefiro aprender cá.
    • Embora/Ainda que/Se bem que: embora vá à piscina, ainda não sabe nadar.
    • Talvez: talvez eu vá amanhã à festa.
    • Oxalá: oxalá eu vá de férias ao Brasil.
    • Caso: caso ele vá a Roma, não ficará na casa do Paolo.
    • Para que: para que ela vá à universidade, temos sacrificado muitas coisas.
    • Desde que: o chefe faz qualquer coisa, desde que o António vá fazer o curso de vitivinicultura.
    • Mesmo que: mesmo que você  vá ao ginásio todos os dias, tem de cuidar também a dieta.
    • Por mais que: por mais que ela vá a aulas de alemão, não consegue comunicar bem.
    • O que quer que/Onde quer que/Quem quer que: onde quer que você vá, sempre encontra problemas.

E agora…não vão embora. Fiquem!