Falso amigo: pinha

O cheiro tem um papel muito evocador, para mim o cheiro a madeira leva-me à minha infância. Lembro-me de ir com meus primos aos pinhais apanhar pinhões como se fôssemos esquilos. Ir aos pinhões e às amoras era bem divertido porque estávamos em contacto com a natureza muito tempo e no final havia uma boa recompensa: comer tudo.

Não sei se sabem, mas as pinhas dos pinheiros têm sementes de futuras árvores. A natureza é sábia e guarda as sementes em cascas muito fortes e resistentes. É por isso que não é muito recomendável levarmos pinhas a casa, lá dentro estarão os novos pinheiros e também servem de alimento a outros animais roedores.

A verdade é que nunca vi o processo de germinação até consultar este artigo, apesar de ter visto na minha vida montes (que redundância!) de pinhas.

A palavra PINHA tem uma família léxica bastante extensa:

  • pinheiro: é o nome da árvore, dela aproveitamos muita coisa: os frutos, a madeira e a resina. Há vários tipos de pinheiros: pinheiro-manso, pinheiro-bravo, pinheiro-alvar…
  • pinheiro de Natal: a árvore de Natal é também chamada de pinheiro.
  • pinho: é a madeira do pinheiro. Dizemos então madeira de pinho.
  • pinhal: é o terreno onde crescem pinheiros ou um conjunto deles.
  • pinhão: é a semente comestível contida na pinha.

Pronto, também, por metáfora chamamos de pinha a um aglomerado de coisas ou pessoas. Uma pinha de percebes.

E já agora…(suponho que estavam à espera) temos o verbo pinar que num contexto muito (muito) coloquial é “ter relações sexuais”. Na minha terra usávamos esse e também a expressão ir às pinhas.

Não sei se nesta altura é permitido apanhar pinhas, sei que houve tempos em que foi proibido. Se for proibido, esqueçam logo isto tudo que vos vou propor. Como já pusemos o toque “picante” toca agora dar a dica para toda a família. Vi na net umas ideias super-fixes para fazerem em casa enfeites de Natal com pinhas. Adorei esta da foto, é tão fofa…Podem consultar esta página e fazer durante estes dias.

(A outra palavra que estão a procurar mentalmente neste momento, acho que é ananás ou abacaxi. Uma é de origem guarani e a outra tupi, nomeadamente)