As raízes de Pessoa na Galiza

No Dia da Língua Portuguesa não há nada melhor do que revisitarmos a nossa história e ligações culturais.

A Ginjinha, Inês de Castro, o galo de Barcelos e, agora também Pessoa, têm antecedentes na Galiza. E se a nossa história fosse contada doutra maneira?

O professor de Literaturas Lusófonas, Carlos Quiroga, prova neste livro a árvore genealógica galega do poeta, a origem do heterónimo Alberto Caeiro e a relação que isto tem com Alfredo Guisado, poeta galego esquecido da Geração Orpheu.

Hoje, no Centro Cultural Camões de Vigo, às 20h.

Carlos Taibo na Ciranda

12072656_731568670282515_8922184073465474599_nSenti, por vezes nas minhas aulas, que precisava de um livro. Um compêndio de aspetos culturais para entender melhor Portugal. A questão foi quase divina, porque um dia pensei nisto e pouco tempo depois esbarrei com o livro do Carlos Taibo

O perito em teoria do decrescimento estará na Ciranda para, entre amigos, falar de dois dos seus livros:

  • Comprender Portugal (Catarata, 2015; em espanhol) é, em certo sentido, uma introdução à geografia, a história, a literatura e a cultura portuguesas. Nas suas páginas está presente também um capítulo que se interessa pela relação, nomeadamente a linguística, entre a Galiza e Portugal. É o Guia do Mochileiro das Galáxias de qualquer lusopata.
  • Poesias, de Fernando Pessoa (Catarata, 2014). Tem um toque de…retranca, por assim dizer. É um livro-brincadeira que recolhe a primeira, e singularíssima, tradução para galego da poesia portuguesa de Pessoa. Deve ter sido um trabalho sisudo e extenuante dada a enorme distância que existe entre esta(s) língua(s). (I’m ironic)Estes e mais símbolos nacionais amanhã, na Ciranda, pelas 20h. Não percam!