Luís Peixoto em Pardinhas

Uma das marcações do verão é o Festival de Pardinhas. Guitiriz é cada ano desde 1979, graças à associação Xérmolos, um destino para todas aquelas pessoas que amam a música ao vivo.

Este ano temos no cartaz um português, Luís Peixoto. Músico multi-instrumentista e habitual como colaborador musical noutras bandas como Galandum Galundaina, Sebastião Antunes e Quadrilha, Dazkarieh…lança neste ano o seu primeiro disco a solo: Assimétrico. O álbum caminha entre o folk e a eletrónica, sem esquecer a guitarra de Coimbra, pois quando falamos de Luís Peixoto, falamos de um coimbrão.

Nestas onze músicas temos cordas de bandolim, cavaquinho, viola braguesa, bouzouki…misturadas com instrumentos eletrónicos.

Amanhã poderemos vê-lo em Pardinhas. Vão perder?

https://youtu.be/BLSRrBhd_QI

Anúncios

O’questrada em Pardinhas

11059733_10153532430029363_3834626634767096595_nO primeiro fim de semana de agosto está lotado de festas no país. O pimento em Ervão, os vikings em Catoira…e o festival de Pardinhas, em Guitiriz.

Num grupo de amigos há com frequência conflito, porque a variedade e quantidade de planos origina qualquer confrontação. Este ano podem deitar as culpas no Lusopatia e ir ao Festival de Pardinhas. O evento é uma feira e uma festa da música e da arte onde se respira criatividade por todo o lado.

Este ano no primeiro dia estarão os O’questrada, banda portuguesa pioneira da reinvenção do popular, das músicas de tasca e do fado.oquestrada

O’queStrada iniciou em 2001 um poderoso movimento acústico que deu cartas para criar um novo paradigma na estética musical portuguesa. Canções como “Oxalá Te Veja”, “Creo cariño” e “Se’sta Rua fosse minha” giram desde essa época em gravações de culto pelo país.

Armados em nómades, os de Almada percorreram com a sua Tasca-Beat  muitas ruas do continente e até cantaram na cerimónia dos Prémios Nobel da Paz em 2012.