5 dicas para uma acentuação intuitiva

Um desses óssos de aprender a escrever foi sempre a acentuação. Este post vai para aquelas pessoas que começam a dar os primeiros passos na ortografia internacional e sentem isto como um grande desafio. Sei que não estou a dar uma fórmula mágica, mas podemos entender esta publicação como umas regras para darmos menos erros.

Parece mentira, mas não é: o português foi feito para usarmos os menos acentos possíveis, acreditem. Normalmente, acentuamos (dentro das possibilidades) os grupos de palavras minoritários dentro da língua. Isto é, existem mais palavras como fazia, comia, pedia (pensem em todos os Pretéritos Imperfeitos!), Maria, democracia do que memória, história, vitória e é por isso que o português acentua estas últimas, para poupar-nos o trabalho.

O meu Genial.ly foi feito nessa chave: não sabes o que é significa Oxítona e Proparoxítona, não percebes patavina, mas queres acentuar na mesma. Começa então com estas dicas, carrega nas setas para veres mais!

Outro dia falar-vos-ei dos tipos de acentos e para que é que serve cada um. Fiquem com isto por enquanto.

Os meus (e também teus?) pesadelos ortográficos

Chega aquela festa que odeio, mas para não ser ostracizada socialmente, decidi fazer uma coisa temática.

Um dos assuntos que mais me arrepiam no mundo é a palavra *voçê assim escrita e o verbo *Posser: “eu posso, tu posses, ela posse…” Tiram-me do sério. Isso e o Samaim.

Reuni valor, alhos e balas de prata e criei uma lista de 7 ou 8 erros supercomuns. Atrevem-se a ler cada página da infografia?

Se não e Senão

Vamos hoje com uma dica express dessas muito rápidas.

A dupla Se não/Senão faz muita confusão não só nas pessoas que escrevem português, mas também em falantes de espanhol. Como na Galiza há um pouco de cada realidade, decidi fazer este post.

Basicamente os usos de Senão e Se não coincidem nas duas línguas a exceção de um caso. Vou então ilustrar com uma imagem cada um dos usos.

Eu acompanho a página Língua Portuguesa do Facebook e a verdade é que nos últimos tempos tem tornado mais fáceis muitas das explicações que dou. Uma imagem vale por mil palavras…

wpid-fb_img_1438592984198.jpgEntão fiquem com a dica, se pudermos substituir por Caso contrário, então é Senão. Se estivermos numa oração condicional negativa, então é Se não.

Um outro uso da palavra Senão é como substantivo. Neste caso significa Defeito, Desvantagem…Por exemplo: Por mais que eu explicasse, ele só encontrava senões na minha argumentação/ Os telemóveis têm aquele senão de deixar-nos cada vez mais isolados.

Recapitulamos…

Cantamos um bocadinho?

Escrever: J ou G?

Quem já estudou gramática sabe isto: a língua portuguesa é um monte de regras e exceções. Isso torna a ortografia um dos grandes desafios para quem quiser aprender.
A correspondência entre sons e fonemas não sempre é unívoca, porque a ortografia é arbitrária. Por exemplo, à letra G correspondem duas pronúncias:

-G seguido de A, O, U: pronuncia-se, oclusivo velar sonoro, como “gato”, “gordo”, “guloseima”.

-G seguido de E e I: tem um som fricativo palatal sonoro, parecido com a pronúncia inglesa de “jump” ou com a francesa de “visage”. Este mesmo som, eis o problema, pode ser também representado pelo J.

Um dos grandes reptos para o público galego é saber quando devemos colocar G ou J numa palavra ao escrevermos. Orto e Grafia podem dar uns exemplos de forma descontraída:

De acordo com as palavras frisadas no vídeo, podemos estabelecer umas regras:

-se existir uma dúvida, pode sempre pensar como é que a palavra se escreve em castelhano. O português e o castelhano seguem uma tendência ortográfica paralela: “generación”= “geração”, “juego”= “jogo”.

-e com as palavras originariamente portuguesas (“bobagem”, “ferrugem”)? o que é que podemos fazer?
Para isto também temos dicas:

*Escrevemos com G a terminação -AGEM (“bobagem”), -IGEM (“vertigem”), -UGEM (“ferrugem”) e os verbos que acabam em -GER (“abranger”), -GIR (“atingir”, “agir”…).

*Escrevemos com J palavras com a terminação –EJAR, -EJA e -EJO (“sertanejo”, “arejar”…) e outras palavras que em castelhano são escritas com Y: “injeção”, “já”.

O professor Fábio Alves dá um ponto de vista mais científico neste vídeo e anuncia próximos conteúdos ortográficos do Lusopatia (ortografia de CH/X, por exemplo)

E para treinar um bocado lá em casa:
http://websmed.portoalegre.rs.gov.br/smed/inclusaodigital/atividades_educativas/gouj.htm
e ainda:
http://www.cardosolopes.net/Alunos/Disciplinas/LP/5Ano/actividades/gouj1.htm

Boa viaGem ortográfica, viaJantes da língua!