V Português Perto

11159964_909527329110367_1716238317972025986_nEsta edição do Português Perto escreve-se com V. Com V de 5 em numeração romana e com V de Vitória, porque 5 anos já é coisa séria.

Um lustro manifesta a soma de vontades que em cada edição se reúnem para trabalharem. Cada edição é testemunha do interesse manifesto na língua e cultura portuguesas por parte da cidade de Ourense.

Neste ano, a parte mais estritamente lusopata é o ateliê OPS! de que já falámos noutros artigos algumas vezes.  Este ateliê visa demonstrar a vantagem competitiva dos galegos e galegas com a língua portuguesa. É uma atividade divulgativa criada pela AGAL que dura uns 100 minutos. O palestrante por meio de atividades interativas dá a conhecer os pontos fortes (e fracos) dos galegos a respeito da lusofonia.

Neste Português Perto temos três dias de programação para desfrutar dos diferentes sabores da nossa língua. Começa amanhã o ateliê OPS mas no resto dos dias temos o melhor da música galega atual concentrado nestes concertos.

OPS! descomplicamos o português

É o fim de uma era socrática, meus lusópatas. A frase “Só sei que nada sei” vai acabar. E ainda mais, no Lusopatia somos tão convencidos que prognosticamos uma data e hora de morte: 7 de março de 2012 na EOI de Compostela às 18h30.
OPS! é o que exclamamos quando nos apercebemos de alguma coisa que já sabíamos. Também são as siglas de O Português Simples.
Este ateliê de 100 minutos, que já foi por muitas escolas secundárias da Galiza e associações culturais, é um dos projetos didáticos da AGAL. Ele vem demonstrar uma tese: se calhar, não somos mais altos do que um rapaz madrileno, nem temos melhor cabelo, nem jogamos melhor futebol…mas temos uma vantagem competitiva e essa vantagem é a língua. Aprender é também um investimento e uma coisa é clara: entre as línguas que possuímos e as que queremos aprender existe uma distância e nós, como galegos e galegas, temos o caminho quase feito!

Nessas duas horas descobrirão coisas que já sabiam, como ler à galega textos em português, e outras novas: conteúdos socioculturais do mundo lusófono, analisar os nossos pontos fortes e fracos, lidar com falsos amigos…Tudo com uma metodologia interativa e descomplicada em companhia de Valentim Rodrigues Fagim.