Ondjaki e Pedro Guilherme Moreira no Culturgal 2015

12325038_1039677006074922_256641402_n

Ponte Vedra é boa vila e dá de beber cultura a quem por lá passar. Nas nossas agendas temos marcado novembro como o mês da cultura galega e lá está a feira Culturgal para fazer disso uma realidade. Vejam só o programa.
Este ano o Culturgal tem também programação para eu criar artigo no blogue. Na verdade, cada ano tenho mais coisas para escrever e isso é sempre a melhor das notícias. Só tenho saudades do Cantos na Maré, que era a cereja no bolo desta feira cada ano. O que foi feito dele?
Graças à livraria Ciranda e a Através Editora poderemos ter na Galiza de novo o Pedro Guilherme Moreira, que recentemente ocupou umas linhas neste blogue, e o Ondjaki, já por todos os nossos leitores e leitoras conhecido.

No sábado, às 16h15, o escritor “angolego” apresenta nesta feira o livro publicado na Através, Os modos do mármore + 3 poemas. Este é o quinto livro de poesia para o escritor, mas o primeiro editado com uma editora galega. Bem haja para este convívio.

E entre as 17h e as 18h podem estar à conversa com os dois autores na banca da Ciranda e aproveitar para levar um exemplar autografado.

Mais uma vez…Ondjaki

angolegoEstavam a pedir, estavam a desejar isto desde a última vez que o Ondjaki veio à livraria Ciranda. Parece que aquela apresentação do livro soube a pouco e agora vamos voltar a ter o Ondjaki connosco.

Amanhã na livraria compostelana Ciranda haverá uma mesa redonda com Felisa Rodríguez Prado, Carlos Quiroga e o escritor angolano de Os Transparentes. Angolano de nascença e angolego de coração (como diz este cartaz da FSCH), o escritor e os professores da USC conversarão com os assistentes sobre literatura angolana.

O ato está marcado às 20h, mas quem já estiver na experiência anterior, sabe bem como são as horas e o tempo para o nascido em Luanda. O melhor será a história criada para justificar a demora. Não conhecem ainda o Ondjaki e as histórias dele? impossível! Vejam como interage com os leitores e leitoras no mundo 2.0.

Conversas e amigos…todos bem recebidos no aconchegante local da Ciranda.

Ondjaki na livraria Ciranda

ondjakiUma vez, quando criança, provoquei magicamente uma cheia no rio Sar. Não foi de propósito, mas provoquei-a e peço desculpas. Talvez conte a história noutro post. Aquele tinha sido o meu primeiro e único contacto com a magia.

Eu nunca tinha invocado pessoas, até há uns meses. Estava na loja, pacatamete, a trabalhar, como muitos outros dias. Mas naquele dia, terminei de dizer a palavra On-dja-ki e, assim, como quem não quer nada, o Ondjaki apareceu. Juro!

E com toda essa magia, Ndalu de Almeida “Ondjaki” (que significa “guerreiro” em umbundu) voltará à livraria Ciranda, à volta do português pelas 20h no dia 28. Virá apresentar o romance Os Transparentes, ganhador da oitava edição do Prémio José Saramago. Um prémio que ganhou o Ondjaki e Angola inteira, por sinal.

Para quem estiver por fora destas coisas, deixo esta ligação.  O Ondjaki começa do zero, praticamente do abc: onde é que Angola fica, qual foi a história do país, quem faz literatura…E com esta introdução já ninguém andará meio desligado na quinta-feira próxima.

Literatura angolana, um “angolego” e bons momentos na Ciranda!

SECULLUS, seminário de culturas lusófonas

As fronteiras entre Angola, Timor, Portugal e a Galiza derrubar-se-ão durante dois dias, pelo menos as fronteiras literárias.

A Cátedra da Unesco de Cultura Luso-brasileira um seminário que decorre em Compostela e dura dois dias (20 e 21 de novembro, mais informações em Calendário).

As faculdades de Filologia e Filosofia terão um encontro de escritores conceituados como Luís Cardoso (Timor), Ondjaki (Angola), Possidónio Cachapa (Portugal) e Carlos Quiroga (Galiza).
Moderará Elias J. Torres, com o título “Narrativas da Lusofonia”.

Ficam a saber que haverá uma banca da Imperdível com livros à venda.

Ondjaki em Compostela

Hoje apresentamos uma actividade diferente, é um encontro com um escritor, um escritor angolano por sinal. A Agal, em colaboração com a Rede de Bibliotecas da Galiza traz Ondjaki para falar da obra literária e, calculo, das outras disciplinas artísticas nas que também se tem destacado, como a actuação ou o cinema, será na biblioteca Anxel Casal de Compostela às 19:30 da quinta dia 2.

Ndalu de Almeida, conhecido como Ondjaki é um escritor, poeta e romancista, angolano, descendente de portugueses, angolanos e com um bisavô cônsul holandês para além de ser escritor também se destaca pela actuação teatral e pela pintura. Fez roteiros para o cinema e codirigiu em 2006 um documentário. No ano 2000 recebeu uma menção honrosa no prémio António Jacinto (Angola) pelo livro de poesia “actu sanguíneu”. Participou em antologias internacionais (Brasil e Uruguai) e também numa antologia portuguesa.É membro da União dos Escritores Angolanos.

Entre seus livros mais conhecidos estão o romance Bom Dia Camaradas, de 2001; a novela O Assobiador, de 2002; o livro de poesia Há Prendisajens com o Xão, de 2002; o infantil Ynari: A Menina das Cinco Tranças, de 2004, e o mais recente volume poético Materiais para confecção de um espanador de tristezas, de 2009.

Além de falar e conhecer o escritor, também vão estar à venda livros da imperdível loja on-line da Agal.