Falso amigo: bolso

Eu (e tu também) cresci com muitos desenhos animados japoneses. Não me defino como uma adepta do mangá, mas vi Heidi, Marco, Sherlock Holmes, os Moscãoteiros…e isso tudo era feito por mãos japonesas.

doraemonDoraemon foi dessas séries que me acompanhou enquanto eu fazia os meus TPCs de Ciências Sociais do primário. Uns TPCs bué de chatos que nunca mais acabavam. Sonhava com que o Doraemon tirasse do seu bolso algum aparelho que fosse capaz de resolver os meus exercícios de pirâmides demográficas.

O bolso daquele gato tinha tudo, quem não havia querer uma mascote assim? e eu… que era tão preguiceira como o Nobita.

Esta abertura sabe-me a sandes de Nutella. Ouçam.

15522054-detalhe-do-bolso-da-calça-jeans-em-azulSerá por ele ser um dos meus referentes, sei lá, confesso que antes de eu usar malas e de os telemóveis existirem, os meus bolsos estavam sempre cheios de coisas. Cheios que nem um marsúpio de canguru. Com a chegada do telemóvel (recordam-se das dimensões dos primeiros?) tive que começar a usar uma mala, porque as chaves, os lenços e o aparelho já não tinham muito espaço no compartimento das minhas calças.

E como eu gosto muito de personalizar as minhas roupas, deixo-vos este vídeo com dicas DIY para customizarem os bolsos das calças.

 

Falso amigo: mala

Há nas línguas expressões bem gráficas.

Em português ser uma-mala-sem-alça significa ser uma pessoa chata, inconveniente e que aparece nas horas erradas. Eu já tive que andar com malas de cá para acolá muitas vezes e realmente acho que esta expressão retrata muito bem a situação. Uma mala sem alça não ajuda mesmo nada e atrapalha.índice

eastMala é uma palavra que vem do francês Malle e que designa aquela caixa, geralmente revestida de couro, lona, etc., usada normalmente para transporte de roupa e outros objetos, em viagem. Muitas delas hoje, felizmente, já têm rodas e não temos que praticar halterofilia para transportar a nossa bagagem.

Bimba-y-lolaTambém usamos a palavra mala para falar de um acessório que usamos no dia a dia onde metemos o telemóvel, as chaves de casa, a carteira…

O espanhol Maleta não é senão um diminutivo da palavra que acabámos mesmo de estudar. Igual que de Pesa temos Pes-eta (muito possivelmente a palavra veio do catalão)

Ora bem, esta dica do post é para não se enganarem com o termo Má, que é o oposto de Boa. Isto já foi explicado também no blogue.

Vocês são desse género de pessoas que vão fazer uma viagem e querem levar um mundo de coisas? Vemos umas dicas para aproveitarmos a capacidade das nossas malas.

E como o aeroporto internacional da Galiza é o do Porto, deixo-vos uma ligação com dicas da ANA para a bagagem que acho pode ser de interesse.

Falso amigo: oficina

oficina de carrosEste verão fui de férias a Lisboa com Blablacar. Para quem não souber, Blablacar é a maior plataforma de boleias da net. Uma pessoa que tem um carro e vai fazer uma viagem sozinha publica essa viagem na página. Outra pessoa que necessita ir a esse mesmo destino adere e viajam juntas partilhando despesas, músicas e conversas. Ótimo, pois não? decrescimento e novas amizades.

Eu fui numa viagem partilhada Vigo-Lisboa na ida. Viajei com um rapaz madrileno e ao fecharmos a mala do carro, não conseguíamos. O fecho estava estragado.

Na viagem gravei um ficheiro de áudio no telemóvel do rapaz a explicar o problema. Assim o madrileno-motorista só tinha que dar a reproduzir e o mecânico ia saber do problema. Achei engraçado o assunto esse da palavra “oficina”, porque para ele era uma confusão muito grande, estava a pensar em talher, claro. E daí a ideia de fazer este artigo.

Oficina é o local de uma atividade laboral, principalmente manual ou artesanal, tal como a que desenvolve um eletricista ou mecânico. E tem muita lógica, se pensarem bem, a palavra  “ofício” é da mesma família léxica. Usamos esta palavra em português para designar um lugar de trabalhos técnicos ou manuais, como mecânica, eletricidade, carpintaria e outros.

Quando o nosso carro estiver com problemas, levá-lo-emos à oficina para um conserto.

Figuradamente, refere ao lugar onde se verificam grandes transformações; um local ou sessões de encontros (meeting) entre profissionais e/ou estudantes para solução de problemas comuns: oficina de literatura; oficina de música; etc.