Aline Frazão regressa

Aline Frazão, a musa do Lusopatia, volta à Galiza.

Amanhã estará em Compostela, na Casa das Crechas às 21h e no domingo estará em Vilar de Santos, na Arca da Noe.
Insular é o terceiro trabalho a solo da cantora angolana. Fala daquelas ilhas imaginárias entre o Nós e o Nós-próprios, fala da Angola atual e conta com colaborações como a da rapper Capicua.

O disco é “isolamento, a solidão, o contraste entre o individual e o colectivo”, por outras palavras, as caraterísticas que definem uma ilha.

Anúncios

Aline Frazão volta a Compostela

image

A cantora fetiche deste blogue volta hoje a Compostela para apresentar o seu último disco.
Aline Frazão gravou o seu primeiro disco na Galiza, depois de ter ganho um concurso para musicar poemas de Carvalho Calero. Naquela altura ela fazia parte da formação A Minha Embala e foi graças à canção Maria Silêncio que ficarmos a saber dela.

O seu nome nunca deixou de aparecer nas linhas deste blogue, festivais, concertos, colaborações…recordavam a sua presença. Já andávamos com saudades dela.

Insular é o seu terceiro disco de originais, que nasceu na ilha escocesa de Jura ao mesmo tempo que a artista ouvia as notícias dos últimos encarceramentos dos presos políticos angolanos. Segundo declarou no Diário de Notícias a criação deste disco “”Foi um processo muito disperso, como sempre que estás a fazer um disco. As peças vão-se juntando ao longo de muitos meses. Lembro-me que teve muito impacto para mim ter ido tocar à Madeira, por exemplo. A sensação de estar isolada alguns dias lá teve muito impacto em mim” e com isto damos por explicado o título.

Hoje, no Teatro Principal, às 20h30