Falsos amigos sobre o Natal

Chegou uma das minhas épocas preferidas do ano. Estive a pensar na quantidade de falsos amigos que existem em volta desta festa. Será porque cada vez entram mais realidades modernas e a nossa língua na Galiza sofre mais esse choque.

Seja como for, noutros post explicamos algumas palavras de uso comum e tradições. Hoje vamos limitar-nos ao vocabulário que dá confusão com uma pequena compilação animada. São conceitos que podem aparecer na consoada, na troca de presentes, nas compras, nas férias…e onde normalmente a pressão do castelhano é maior.

Apresentamos um placar de cortiça com post-it, cada bilhete tem uma palavra escrita. Se carregarem mesmo no escrito podem ver o significado em língua portuguesa.

Se quiserem continuar a aprender mais, deixo-vos neste link um jogo de bingo com vocabulário natalino.

E se não me encontrarem por cá em dias…boas festas e boas entradas!

Falso amigo: ilusão


O pior cego é que o que não quer ver, mas… é se os nossos olhos nos burlassem? e se eles fossem traidores?
A palavra ilusão vem da voz latina “illudo” que significa divertir-se, recrear-se, mas também burlar, enganar. Este verbo, por sua vez, vinha de “ludo”, brincar. Na nossa língua, “iludir” evoluiu com o sentido de causar uma impressão enganosa ou ter a esperança de algo irrealizável. Por outras palavras, uma ilusão é uma miragem.

Reparem em que a arte cénica do Ilusionismo está baseada em ilusões, esta é a razão do seu nome. Um mágico/ilusionista visa entreter e sugestionar uma audiência criando ilusões que confundem e surpreendem, geralmente por darem a impressão de que algo impossível aconteceu, como se o executante tivesse poderes sobrenaturais. Muitos dos truques de magia são, na realidade, uma ilusão de óptica: uma confusão dos sentidos que provoca uma distorção da percepção. Este vídeo é uma amostra de uma das ilusões de óptica mais famosas.

E ainda podem brincar aqui com as percepções e os enganos dos olhos. Abracadabra!