Férias ou Feiras?

Vamos com esse cavalo de batalha. Um osso dos difíceis para os meus alunos e alunas.

A situação é assim, estamos nas aulas pacatamente a meter conversa e…aparece de maneira constante esta dúvida. Vamos com isto, que não é assim tão complicado. Força!

As férias, assim no plural, são uns dias em que trabalhadores e estudantes descansam. São dias consecutivos, se for um dia à solta, dizemos que é um dia de folga. Para quem trabalhar no ensino ou quem estiver a estudar, é um conceito fácil de se entender: para uma professora ou estudante as férias são no Natal, no Entrudo, na Páscoa e no verão (as férias grandes).

Para o verão até tínhamos criada uma playlist especial neste artigo anterior. Lembram-se?

Uma feira costuma ser um grande mercado, muitas vezes ao ar livre, onde são vendidas mercadorias. Na minha terra, Padrão, tem uma periodicidade fixa. Todos os domingos (sem exceções, mesmo que seja 1 de janeiro, Natal…) há feira. Pimentos, polvo à feira, peixe, cestos, livros, queijos…e até uma viagem de carrossel podem ser comprados lá. Eu amo os domingos de manhã em Padrão.

Contudo, o meu amor a Lisboa obriga-me também a falar doutra feira importante: a feira da ladra. Terças e sábados, chova ou faça sol, lá estão os feirantes com as suas bugigangas. Trata-se da feira mais antiga da cidade. Além de ver e poder comprar objetos antigos, em segunda mão e tesouros da cultura alfacinha, o ambiente que lá se respira é espetacular.

Se a palavra “feira” estiver acompanhada de um numeral, então estamos a falar nos dias mediais da semana. Isto é, todos aqueles que não forem fim de semana: segunda-feira, terça-feira, quarta-feira, quinta-feira, sexta-feira. Por assim dizer “feira” é o apelido que acompanha esses numerais, mas muitas vezes usamos a versão curta: segunda, terça, quarta…

Existe então a palavra dia no português? existe, claro. Não se esqueçam dela! Aproveitem estes dias e ponham a conversa em dia!

A minha playlist para receber o verão

Na semana passada pensava que o verão não ia chegar mais e qual índigena pataxó decidi invocá-lo com música. Acho que funcionou, porque levo quase sete dias de sandálias.

Hoje começa oficialmente a estação mais quente no nosso hemisfério e criei uma lista de músicas para lhe dar as boas-vindas. São canções que eu associo, sem dúvida nenhuma, às férias e à praia. Dez músicas de estilos muito diferentes e um toque piroso, porque isso nunca deve faltar numa lista de música estival. Podem ouvi-las à solta (se carregarem em cada círculo de cor) ou por junto (se carregarem no centro da vitrola).

Eis os meus motivos…

1. Tom Jobim: Garota de Ipanema. Realmente existe alguém que não conheça esta música? se existir, essa pessoa não presta. Um canto à beleza e à saudade que ambienta sempre uma zona chill out.

2. A fúria do açúcar: Eu gosto é do verão. Descobri esta canção quando estava à procura de músicas que tivessem estruturas de ênfase: “eu gosto é”. Viciou-me o humor e o ridículo da letra. Acho que hoje é ainda de conteúdo muito atual, se pensarmos no fenómeno Instagram.

3. Peste e Sida: Sol da Caparica. Fugir de Lisboa e ir à praia da Caparica. Traz-me recordações de tempos melhores.

4. Deolinda: Corzinha de verão. Tirar férias com o infortúnio de termos só dias de chuva. Não ligar bronze nunca. Enfim, pequenos dramas das viagens.

5. Natércia Barreto: Óculos de sol. A protagonista da letra diz que usa óculos de sol…para o sol, mas tem um triste segredo. Uma melodia vintage e doce.

6. Natiruts: Um céu, um sol e um mar. Um bocado de reggae é sempre relaxante. O paraíso é um lugar na praia.

7. José Malhoa: Baile de verão. O pimba é o meu guilty pleasure e o José Malhoa é um rei. A canção conta o princípio de um namorico num arraial. Cada domingo, durante anos, foi top na feira padronesa.

8. Skank: Vamos fugir. Mandar tudo às urtigas e ir a um lugar paradisíaco, quem não quer?

9. Gabriel o Pensador: Solitário surfista. O clássico de Jorge Ben Jor foi versionado pelo rapper e também surfista Gabriel o Pensador. Gosto muito dessa sensação de liberdade do surf, quanta paz me dá esta música.

10. Marisa Monte: Lenda das sereias. Imaginem só ser uma sereia e ter todos os mares para viver? Esta é uma canção dedicada à orixá Yemanjá.

Português no verão da EOI de Compostela

maxresdefaultO verão é mesmo longo e podemos chegar a pensar que não o aproveitámos bem. Chega agosto e parece que passámos os meses na pasmaceira sem fazer nada de útil. Ai…que sensação feia!

A Associação de Antigos Alunos da EOI de Compostela organiza um ano mais os seus cursos de verão. O antídoto contra o tédio estival.

Este julho serão ofertadas as mesmas línguas que se podem estudar na EOI durante o ano com uma nova incorporação: um curso de chinês inicial. Eu estudei lá japonês e foi uma experiência muito marcante, adorei.

E com português? o que é que se passa? estamos com sorte, neste verão, pela primeira vez, há dois níveis: inicial e intermédio. Inicial é para quem nunca tenha estudado antes português e intermédio é para aquelas pessoas que já tenham um contacto, umas noções…

Com uma abordagem comunicativa e inovadora e dois professores que já têm trabalhado juntos em projetos de inovação educativa e criação de materiais didáticos, os cursos têm como objetivo fornecer as ferramentas linguísticas necessárias para iniciar o caminho no estudo da língua portuguesa ou aperfeiçoar os conhecimentos já adquiridos.

Se está à espera de um curso tipo fill the gaps…este não é o seu. Ora bem, quer aprender, conversar, saber das culturas lusófonas? Então, confira nesta ligação para saber que documentação precisa para formalizar a inscrição.