Falso amigo: pelo

axilasNão sei se alguma vez vocês já pensaram nisto. Eu sim. Nós e os nossos colegas macacos temos pelos, mas se repararem nas diferenças entre um humano e um orangotango vão ver que os pelos não foram distribuídos da mesma maneira.

Vou explicar melhor a questão. A pergunta é por que nos seres humanos, ao longo da evolução, a maior parte dos pelos do corpo permaneceu em certos lugares, como cabeça, tórax (no caso dos homens), axilas e partes íntimas? um macaco não tem quase pelos nas partes íntimas.

peito

Ao que parece, pelo que li na UOL, o causa deveu ser uma mudança climática muito forte acontecida no passado. Sair para caçar com pelos fartos e calor começou a ser um fardo. Só que…e assim todos nus…quando os humanos sabiam quando alguém era púbere? por uma questão evolutiva, os pelos voltaram a certas partes para diferenciar os humanos adultos das crianças.

O dos pelos nalguns animais ainda é também um mistério para mim. Cães e gatos perdem muito pelo…e nunca são carecas.

Falso amigo: fresa

passo-para-comprar-sua-fresa-de-trefiladeira-16551-mlb20122307544_072014-fEli Whitney inventou em 1818 a fresadora. O inventor estadunidense vivia numa fazenda e observou que o que restringia a produção era fazer a limpeza do algodão, uma tarefa manual que levava várias horas. Whitney viu aí uma grande oportunidade de negócio: se criasse uma máquina capaz de fazer esse trabalho mais depressa, traria prosperidade para o sul do país, que passava por dificuldades devido à abolição da escravatura.

Analisando a limpeza manual do algodão, em poucos dias Whitney elaborou o esboço de um equipamento: uma espécie de peneira com um tambor, que girava muito próximo a ela, trabalhando como os dedos ao puxar o fio. Este mecanismo tinha umas peças de corte que hoje conhecemos como fresas. Os dentes e gumes removem o material da peça bruta de modo intermitente e a produção é sempre mais rápida.

Então…pensem isto! fresa não é um sabor, morango sim.

falso amigo: escova

Lyda D. Newman foi uma inventora, sufragista e ativista pelos direitos civis dessas pouco reconhecidas na história. escov cab

Em 1898 ela inventou a escova que usamos para escovar o cabelo tal e como a conhecemos hoje. Evidentemente, antes já as pessoas utilizavam escovas, mas foi esta mulher afro-americana quem aperfeiçoou o utensílio e o patenteou.

Se pensamos na escova de dentes, a mais antiga de que se tem notícia foi encontrada numa tumba egípcia de 3 mil anos a.C. Era um pequeno ramo com ponta desfiada até chegar às fibras, que eram esfregadas contra os dentes.escova

A primeira escova de cerdas, parecida com a que conhecemos, surgiu na China, no fim do século XV. Chineses, não podia ser doutra maneira, são os criadores de tantos inventos nossos! Esta escova era feita de pelo de corpo, as cerdas eram amarradas em varinhas de bambu ou pedaços de ossos. Isto tinha um senão: os pelos de animais  armazenavam humidade que causava mofo…e isto não é muito bom para os dentes.

Em 1938, a empresa americana DuPont desenvolveu as cerdas de nylon usadas hoje.

Deixo-vos aqui um excerto do filme Entrelaçados (Pt)/Enrolados (Br), baseado no conto da Rapunzel. Olhem que cabelão…

Falso amigo: bolso

Eu (e tu também) cresci com muitos desenhos animados japoneses. Não me defino como uma adepta do mangá, mas vi Heidi, Marco, Sherlock Holmes, os Moscãoteiros…e isso tudo era feito por mãos japonesas.

doraemonDoraemon foi dessas séries que me acompanhou enquanto eu fazia os meus TPCs de Ciências Sociais do primário. Uns TPCs bué de chatos que nunca mais acabavam. Sonhava com que o Doraemon tirasse do seu bolso algum aparelho que fosse capaz de resolver os meus exercícios de pirâmides demográficas.

O bolso daquele gato tinha tudo, quem não havia querer uma mascote assim? e eu… que era tão preguiceira como o Nobita.

Esta abertura sabe-me a sandes de Nutella. Ouçam.

15522054-detalhe-do-bolso-da-calça-jeans-em-azulSerá por ele ser um dos meus referentes, sei lá, confesso que antes de eu usar malas e de os telemóveis existirem, os meus bolsos estavam sempre cheios de coisas. Cheios que nem um marsúpio de canguru. Com a chegada do telemóvel (recordam-se das dimensões dos primeiros?) tive que começar a usar uma mala, porque as chaves, os lenços e o aparelho já não tinham muito espaço no compartimento das minhas calças.

E como eu gosto muito de personalizar as minhas roupas, deixo-vos este vídeo com dicas DIY para customizarem os bolsos das calças.

 

Falso amigo: mala

Há nas línguas expressões bem gráficas.

Em português ser uma-mala-sem-alça significa ser uma pessoa chata, inconveniente e que aparece nas horas erradas. Eu já tive que andar com malas de cá para acolá muitas vezes e realmente acho que esta expressão retrata muito bem a situação. Uma mala sem alça não ajuda mesmo nada e atrapalha.índice

eastMala é uma palavra que vem do francês Malle e que designa aquela caixa, geralmente revestida de couro, lona, etc., usada normalmente para transporte de roupa e outros objetos, em viagem. Muitas delas hoje, felizmente, já têm rodas e não temos que praticar halterofilia para transportar a nossa bagagem.

Bimba-y-lolaTambém usamos a palavra mala para falar de um acessório que usamos no dia a dia onde metemos o telemóvel, as chaves de casa, a carteira…

O espanhol Maleta não é senão um diminutivo da palavra que acabámos mesmo de estudar. Igual que de Pesa temos Pes-eta (muito possivelmente a palavra veio do catalão)

Ora bem, esta dica do post é para não se enganarem com o termo Má, que é o oposto de Boa. Isto já foi explicado também no blogue.

Vocês são desse género de pessoas que vão fazer uma viagem e querem levar um mundo de coisas? Vemos umas dicas para aproveitarmos a capacidade das nossas malas.

E como o aeroporto internacional da Galiza é o do Porto, deixo-vos uma ligação com dicas da ANA para a bagagem que acho pode ser de interesse.

Falso amigo: preto

detail-preto-absolutoNão estão a ser bons tempos para os felinos, desde a morte do Cecil.

Os gatos pretos foram (e infelizmente são) alvo de muita superstição.  Estiveram muito associados à crença de que gatos pretos eram bruxas transformadas em animais. Por isso a tradição diz que cruzar com um gato preto é sinal de mau agouro, azar.

A cor preta está carregada de simbolismo. Podemos pensar nos gatos, na bandeira pirata (Jolly Roger) ou no anarquismo.

negro-gato-m-20091113No latim havia pares de palavras para as cores, porque a língua latina tinha um nome para as cores acetinadas e um nome para as cores mate. Assim, chegaram a nós dois nomes: negro (niger) e preto (pressus).

A palavra Preto tem origem no termo em latim Pressus, que remete para o ato da compressão, de apertar. Isto significa que na cor preta existem vários pigmentos estão comprimidos.

O preto é a cor mais escura do espectro, definida como “a ausência de luz”, em cores-luz, ou como “a junção de todas as cores”, em cores-pigmento. É a cor que absorve todos os raios luminosos, não refletindo nenhum e por isso aparecendo como desprovida de clareza.

As cores podem despertar diferentes sensações, o que é usado muitas vezes no âmbito da publicidade. Neste caso, quando a cor preta está associada a uma empresa ou marca, ela indica nobreza e transmite uma sensação de seriedade.índice

A cor preta também significa tristeza e reverência e por esse motivo pessoas que estão em luto muitas vezes vestem roupa preta, sendo uma cor preponderante em muitos funerais ocidentais. Nalgumas culturas orientais (xintoísmo), no entanto, entende-se que a cor do luto é o branco, por ser ela a cor dos ossos.

Agora com o artigo lido, ficam a saber que se quisermos indicar que alguma coisa fica próxima de nós, para isso vamos utilizar a palavra Perto.

Podem também consultar este artigo que fizemos com anterioridade sobre Preto/Cerca.

Deixo-vos agora com um dos meus filmes a preto e branco preferidos: Metrópolis. Espero que gostem tanto como eu gostei.

Falso amigo: pero

MACAS_MAGSegundo o Dicionário da Língua Portuguesa 2009, da Porto Editora, a “maçã” é o «fruto comestível da macieira, de forma arredondada e polpa consistente», enquanto que o “pero” é uma «variedade de maçã alongada e doce».

Isto tem dado origem a muitas guerras sobre se o Pero é sinónimo de Maçã ou é um tipo de Maçã.

Parece que historicamente a maçã (ou pero?) não descansa e está sempre envolvida em discussões. Desta feita é uma discussão hortícola, mas ela já foi usada pela deusa Discórdia para iniciar a guerra de Troia, pela bruxa para envenenar a Branca de Neve e pela serpente para tentar os moradores do Paraíso.

Neste post do Ciberdúvidas dão uma visão dialetal sobre o tema. Defendem que no Norte de Portugal o termo é Maçã e no Sul há quem diferencie entre Pero (Maçã Golden) e Maçã.

De qualquer maneira, vamos com o tema que nos interessa, que é a língua. Na minha terra o termo Pero é usado para definir pessoas bonitas: bonitinho como um pero, dizemos isso muito para os bebés. E em Portugal, descobri não há muito numa legendagem de uma série, é aplicado a pessoas com boa saúde: são como um pero.

Com o termo Maçã também temos as expressões as maçãs do rosto (parte saliente das faces), o pomo/maçã de Adão, a maçã da perna (as coxas), e até o termo maçaneta que é o que nos ajuda a abrir uma porta, tem origem na palavra Maçã.

E…finalmente…se quisermos opor ideias, introduzir um Senão…para isso temos a palavra Mas.

Falso amigo: despido

david

O “Nu artístico” é a designação dada à exposição do corpo despido de uma pessoa no cinema, fotografia, escultura, pintura… É considerado uma das classificações académicas das obras de arte.

abaporuA nudez na arte refletiu pelo general os padrões sociais para a estética e a moralidade da época em que a obra foi realizada. Muitas culturas toleram a nudez na arte mais do que na vida real, com diferentes parâmetros sobre o que é aceitável. Assim, num museu no qual se mostram obras com nus, em geral não é aceite um visitante despido, despojado de qualquer peça de roupa.

Fora de qualquer discussão artística está o tema do Nudismo. O nudismo ou naturismo é, segundo a Federação Portuguesa de Naturismo: “é uma forma de viver em harmonia com a Natureza caracterizada pela prática da nudez coletiva, com o propósito de favorecer a auto-estima, o respeito pelos outros e pelo meio ambiente“, mas ainda estamos longe de irmos despidos a um museu.

Como género, o nu é um tema complexo de abordar pelas suas múltiplas variantes, tanto formais quanto estéticas e iconográficas, e há historiadores da arte que o consideram o tema mais importante da história da arte ocidental. A evolução dos corpos despidos na arte é também uma maneira de conhecermos o que culturalmente é ou foi considerado como estético.

Realmente, quase todas as obras de arte que eu mais admiro, têm corpos despidos, como estas que vos mostro no post.

Continuam com dúvidas sobre a palavra? vejam o que significa Despedimento.

 

Falso amigo: estufa

No passado dia 31 fiz contas de cabeça sobre como tem sido o tempo nos últimos anos. Nesse dia recordo-me de esperar um autocarro em Taragonha (Rianjo) com frio, muito frio, chuva…mas nunca como neste ano, com tanto calor. Não há maneira de negar a mudança do clima.

efeitoestufa2O efeito de estufa é um processo que ocorre quando uma parte da radiação infravermelha emitida pela superfície terrestre é absorvida por determinados gases presentes na atmosfera. Como consequência disso, parte do calor é irradiado para a superfície, não sendo libertado para o espaço.

O efeito de estufa dentro de uma determinada faixa é de vital importância pois, sem ele, a vida como a conhecemos não poderia existir. Serve para manter o planeta aquecido, e assim, garantir a manutenção da vida. É uma solução que o planeta oferece a uma ferida que nós fazemos. estufa

Eu sou de terra de estufas, em Padrón há quilómetros de plástico. A estufa é uma estrutura capaz de produzir o microclima ideal para o cultivo de plantas. Ela pode ser usada para o plantio e também para o armazenamento e a manutenção vegetal. Esse microclima faz com que os nossos pimentos possam ser produzidos mais meses. Estas condições (entre outras) também influenciam o sabor deles e assim, uns picam e outros não, como diz o ditado.

Deixo-vos cá um WikiHow sobre como construir uma estufa e também um vídeo que explica como fazê-lo de uma maneira muito ambientalista: aproveitando garrafas de PET.

E numa opção mais turística, a estufa que aconselho para visitarem é a Estufa fria de Lisboa, um jardim em estufa situado no Parque Eduardo VII, entre a Alameda Engenheiro Edgar Cardoso e a Alameda Cardeal Cerejeira. O seu nome provém de ter sido pensada como uma zona de abrigo de plantas diversas e de não ser usado um sistema de aquecimento (na zona fria). Azáleas, cameleiras, mangueiras…um acervo de plantas que é uma maravilha da botânica. Consultem horários e preços.

Com esta mudança do clima tenho imensa vontade de ligar o aquecimento, mas acho que toca esperar…

Falso amigo: oficina

oficina de carrosEste verão fui de férias a Lisboa com Blablacar. Para quem não souber, Blablacar é a maior plataforma de boleias da net. Uma pessoa que tem um carro e vai fazer uma viagem sozinha publica essa viagem na página. Outra pessoa que necessita ir a esse mesmo destino adere e viajam juntas partilhando despesas, músicas e conversas. Ótimo, pois não? decrescimento e novas amizades.

Eu fui numa viagem partilhada Vigo-Lisboa na ida. Viajei com um rapaz madrileno e ao fecharmos a mala do carro, não conseguíamos. O fecho estava estragado.

Na viagem gravei um ficheiro de áudio no telemóvel do rapaz a explicar o problema. Assim o madrileno-motorista só tinha que dar a reproduzir e o mecânico ia saber do problema. Achei engraçado o assunto esse da palavra “oficina”, porque para ele era uma confusão muito grande, estava a pensar em talher, claro. E daí a ideia de fazer este artigo.

Oficina é o local de uma atividade laboral, principalmente manual ou artesanal, tal como a que desenvolve um eletricista ou mecânico. E tem muita lógica, se pensarem bem, a palavra  “ofício” é da mesma família léxica. Usamos esta palavra em português para designar um lugar de trabalhos técnicos ou manuais, como mecânica, eletricidade, carpintaria e outros.

Quando o nosso carro estiver com problemas, levá-lo-emos à oficina para um conserto.

Figuradamente, refere ao lugar onde se verificam grandes transformações; um local ou sessões de encontros (meeting) entre profissionais e/ou estudantes para solução de problemas comuns: oficina de literatura; oficina de música; etc.