Falso amigo: despido

david

O “Nu artístico” é a designação dada à exposição do corpo despido de uma pessoa no cinema, fotografia, escultura, pintura… É considerado uma das classificações académicas das obras de arte.

abaporuA nudez na arte refletiu pelo general os padrões sociais para a estética e a moralidade da época em que a obra foi realizada. Muitas culturas toleram a nudez na arte mais do que na vida real, com diferentes parâmetros sobre o que é aceitável. Assim, num museu no qual se mostram obras com nus, em geral não é aceite um visitante despido, despojado de qualquer peça de roupa.

Fora de qualquer discussão artística está o tema do Nudismo. O nudismo ou naturismo é, segundo a Federação Portuguesa de Naturismo: “é uma forma de viver em harmonia com a Natureza caracterizada pela prática da nudez coletiva, com o propósito de favorecer a auto-estima, o respeito pelos outros e pelo meio ambiente“, mas ainda estamos longe de irmos despidos a um museu.

Como género, o nu é um tema complexo de abordar pelas suas múltiplas variantes, tanto formais quanto estéticas e iconográficas, e há historiadores da arte que o consideram o tema mais importante da história da arte ocidental. A evolução dos corpos despidos na arte é também uma maneira de conhecermos o que culturalmente é ou foi considerado como estético.

Realmente, quase todas as obras de arte que eu mais admiro, têm corpos despidos, como estas que vos mostro no post.

Continuam com dúvidas sobre a palavra? vejam o que significa Despedimento.

 

Falso amigo: folga

Heróis precisam é de um dia de folga. Sempre de cá para acolá, a salvarem pessoas, sem tempo para baterem uma soneca ou namorarem. Que stresse! Mesmo o Super-homem quer folgar.

Se repararem bem, “folga” tem a mesma raiz que “folgança”, “folgado” ou “folgazão”. Um dia de folga é um dia de descanso, não tem nada a ver com um protesto.

Amanhã este blogue estará inativo não por folga, mas por greve. Armar-nos-emos em super-heróis para lutar contra os vampiros.