Os meus podcast para o 8 de março

O 8 de março pode ser um dia muito bom para começares a acompanhar podcast e conheceres muitas pessoas criativas. Já demos anteriormente algumas recomendações cá, mas hoje vamos focar naqueles programas produzidos por mulheres. Desde que comecei a experiência com As Womansplainers a procura por este tipo de conteúdos tem sido uma obsessão. Esta é a minha seleção, espero que gostem dela!

É nóia minha?. A Camila Fremder, escritora, roteirista e agora a tua paranoica habitual, partilha as suas paranoias connosco e também com convidados. Os teus pensamentos repetitivos e ciclos viciosos vão adorar este podcast.

Há algum episódio com uma dinâmica “especial” intitulado “Roleta do unfollow”: uma genialidade.

Eu não sou a sua mãe. Tive imensa pena quando este projeto acabou, mas temos que agradecer todos os programas que fizeram e que ainda possamos desfrutá-los. Quatro mulheres de esquerda portuguesas metiam conversa sobre temas complexos. Acompanhem-nas nas redes socias: sempre certas!

Mamilos. Mamilos é “jornalismo de peito aberto”. Os temas mais polémicos das redes sociais são debatidos cá com empatia, respeito e profissionalismo. O toque de humor também não falta.

Têm muitos programas e acho que é dos podcast melhor sucedidos do Brasil. Não percam esta oportunidade.

Imagina juntas. Este é um podcast de millennials que tentam ser adultas e pagar as contas. A sanidade mental está em risco. Parece que desde dezembro de 2021 o projeto não teve continuidade, mas têm muitos episódios para poder usufruir.

As Mathildas. Um podcast sobre cultura audiovisual, cinema e artes. Não tem continuidade desde 2020, mas deixaram um acervo sonoro muito valioso para desfrutarmos. Teste de Bechdel, este é o teu programa.

Gordacast. Este nome é uma sedução. Autoestima e bodypositive, mas este podcast quebra muitos mais padrões do que os simplesmente estéticos.

Calma, gente horrível. Vou gravar esta frase para dizer no Twitter de tempos em tempos. Este é o teu podcast de reclamações semanais de referência. Ana Roxo, Rita Alves, Tati Fadel e Malu Rodrigues falam de política, ciência, sociologia e outros temas. Podem (e devem, com todo o direito) surtar.

Tenham os fones por perto!