Concerto de fado

A aprendizagem do português não só dá como fruto um bom domínio da gramática, quem já estudou numa EOI sabe disto. Cada turma é uma nova rede de amizades unida por um interesse comum, por outras palavras, cada turma é uma ilha lusópata.

Contaremos as coisas do início. Tudo começou quase como uma queixinha, sempre há quem dedure. O pessoal de básico de português da EOI de Compostela soube um dia que entre eles havia uma menina cantora de fados. Imaginem que grande sorte, estudar uma língua e ter essa oportunidade tão perto. Sara de Sousa tinha que cantar. Assim é que se inicia a ideia de fazer um concerto. De facto, o espetáculo é organizado pelo alunado da EOI.

Sara de Sousa, Paulo Gomes e António Reis conhecem-se de Meta-fado, projeto onde colaboram muitos fadistas galegos e portugueses. Uma ideia que visa derrubar muros culturais e espalhar o amor por este género musical, recentemente declarado património da humanidade. Os três têm uma dilatada experiência nos palcos por separado, mas só estão juntos há pouco, por isso não dispomos de material audiovisual da banda inteira, infelizmente.

O concerto será esta quarta, na Sala Capitol, pelas 21.30. Podem comprar os bilhetes (3 euros) na ReixaTenda.

Diz a canção que um “peito que canta o fado/tem sempre dois corações”. Façam contas esta quarta com a Sara.

101 falares com jeito

“Mostrar” ou “ensinar”? “Continuar” ou “seguir”? “Procurar” ou “buscar”? acabaram os sorteios, as dúvidas e os tempos de escrever à toa.
Cada religião tem um livro sagrado e a Lusopatia não podia ser menos.
101 falares com jeito é uma obra de Fernando Vasquez Corredoira. Trata-se de uma compilação de uma série de artigos que o professor publicou no Velho PGL com o objetivo de dar dicas para melhorar usos linguísticos e banir castelhanismos. Um colete de salvação em caso de dúvidas.
Em dia 8 de março, pelas 20h00, na sala 5 da EOI de Compostela, será a apresentação. Promete ser uma revolução na língua do alunado de português e das pessoas que lá forem.

OPS! descomplicamos o português

É o fim de uma era socrática, meus lusópatas. A frase “Só sei que nada sei” vai acabar. E ainda mais, no Lusopatia somos tão convencidos que prognosticamos uma data e hora de morte: 7 de março de 2012 na EOI de Compostela às 18h30.
OPS! é o que exclamamos quando nos apercebemos de alguma coisa que já sabíamos. Também são as siglas de O Português Simples.
Este ateliê de 100 minutos, que já foi por muitas escolas secundárias da Galiza e associações culturais, é um dos projetos didáticos da AGAL. Ele vem demonstrar uma tese: se calhar, não somos mais altos do que um rapaz madrileno, nem temos melhor cabelo, nem jogamos melhor futebol…mas temos uma vantagem competitiva e essa vantagem é a língua. Aprender é também um investimento e uma coisa é clara: entre as línguas que possuímos e as que queremos aprender existe uma distância e nós, como galegos e galegas, temos o caminho quase feito!

Nessas duas horas descobrirão coisas que já sabiam, como ler à galega textos em português, e outras novas: conteúdos socioculturais do mundo lusófono, analisar os nossos pontos fortes e fracos, lidar com falsos amigos…Tudo com uma metodologia interativa e descomplicada em companhia de Valentim Rodrigues Fagim.