O humor gráfico na Galiza e Portugal

Este ano voltei à universidade. Sempre gostei de aprender e, por outro lado, quem não ia gostar de ter descontos no cinema e nos museus? É a brincar. Estou a estudar Língua e Literaturas Modernas com especialidade em português. Estudar e trabalhar à vez não é fácil, mas tudo é melhor levado se realmente existe um interesse. Da minha parte existe e muito.

Uma das cadeiras que tenho é Relações Galiza-Lusofonia, parece feita que nem uma luva para alguém que tem um blogue como este, pois não? Andei a fazer trabalhos estes meses e afinal fiz um sobre o humor gráfico na Galiza e Portugal.

Escolhi o tema porque sempre acho que as artes plásticas são as eternas esquecidas nas relações culturais que envolvem as línguas. A arte é já uma linguagem em si própria e talvez seja por isso que não nos preocupemos tanto com este tema no âmbito dos estudos lusófonos. Aliás, gosto muito de Castelao e Bordallo Pinheiro e achei que poderia ser interessante ver a carreira dos dois de maneira conjunta.

Podem ler o meu trabalho nesta ligação

Para acompanhá-lo criei este Genial.ly onde podem ver todas as imagens de que falo.

Festival de Poesia no Condado

Entre 1 e 2 de setembro decorre um dos festivais mais representativos do fim do verão, porque…assumamos…as férias não vão durar sempre. O Festival de Poesia no Condado não é apenas a maior mostra de lírica do ano, é um evento multidisciplinar: audiovisual, artesanato, exposições e música.

Amanhã, dia 1, teremos em Salvaterra às 20h30 a apertura de exposições que contam com projetos de Clara Não e Mariana Malhão entre outras. Clara Não é uma ilustradora, escritora, desenhista, escultora e performista do Porto. Mariana Malhão é desenhista e ilustradora de Coimbra. Deixo-vos com uns exemplos dos seus trabalhos que para mim foram um achado, agora que voltei a brincar com a minha caixinha de aguarelas e que ando na procura de referentes femininos.

Já na noite às 23h poderemos ir ao concerto dos Baleia, baleia, baleia. Esta banda do Porto faz música tipo punk-rock e foi para mim uma coisa nova.

Li sobre eles que «pegam nos elementos mais alegres e coloridos que o rock alguma vez engendrou, agitam-nos numa garrafa com gasosa e tiram a tampa para molhar toda gente». Promete dar barraca…

https://youtu.be/xP7M8RP4fCc

No segundo dia de festival, entre música e poesia, há a projeção do documentário Mulheres da Raia de Diana Gonçalves às 19h.

Apanhem as suas trouxas e vão lá, que isto vai começar!

Bd portuguesa em Ponte Vedra e Vila Garcia

image

As Eoi de Vila Garcia e Ponte Vedra trazem uma atividade super-interessante para aqueles e aquelas que amamos desenhar e ler bd.Sessões em Pontevedra

Entre hoje e amanhã o crítico português de banda desenhada, Pedro Moura, fará uma panorâmica do melhor da bd portuguesa.

Crítico e escritor em blog lerbd, para além de outras publicações e outras funções associadas a essa área, assim como a ilustração e animação, o Pedro Moura fez uma tese de Mestrado em Filosofia Estética (na Nova) sobre a “Memória em sete casos da banda desenhada francófona contemporânea”.

Para já, o blogue Ler Bd é desses que recomendo vivamente para aqueles leigos na matéria que começam nisto da banda desenhada. Uma visão crítica, contemporânea e sempre bem informada do que está a dar neste género. Na minha época de livreira era daqueles blogues que tinha nos marcadores e nunca deixei de ler, é por isso que fico muito feliz por este autor nos visitar.

Vejam as expetativas que ele coloca: “O propósito tem mais a ver com a conhecer a realidade da língua portuguesa, mas espero ter oportunidade de despertar o interesse de novos leitores pelos trabalhos existentes na nossa “cena contemporânea”, sejam livros mais críticos da nossa sociedade e atentos à situação económica-social, sejam livros que procurem de alguma forma criar ficções bem-dispostas, ou mesmo aqueles autores que viverão em espaços intermédios em termos de forma e conteúdo”