VI Colóquio internacional sobre literatura brasileira contemporânea

colóquio

Ainda estão abertas as inscrições para o VI Colóquio sobre literatura brasileira que decorrerá nos dias 25-27 do corrente mês na Universidade de Santiago de Compostela.

A focagem deste ano é “o local, o nacional, o internacional”. Pelo que pude ver no site da organização as linhas temáticas deste encontro defrontam os paradoxos da literatura brasileira atual: novas vozes (mulheres, negros, trabalhadores e trabalhadoras…) entram para reivindicar o seu espaço no panorama atual e se legitimarem num momento em que a literatura brasileira está em vias de internacionalização com o aumento de traduções, apresentações no estrangeiro e feiras literárias.

Na página podemos ver as intenções do evento “O colóquio – que pretende movimentar esse conjunto de discussões – é resultado dos diálogos já estabelecidos entre o Grupo de Estudos em Literatura Brasileira Contemporânea e especialistas da área de diferentes universidades europeias, do Brasil, dos Estados Unidos e da Argentina, e marca a consolidação da cooperação entre essas instituições. As diferentes procedências dos participantes apontam também as diferentes perspetivas teóricas e metodológicas que estarão em debate. Para além de questões mais teóricas, necessárias para o debate, serão apresentados estudos sobre livros, autores e géneros específicos da literatura brasileira contemporânea que contemplam os problemas referidos, além de análises sobre o campo literário brasileiro atual. Estão contempladas, também, discussões sobre o diálogo da literatura com outras linguagens artísticas (cinema, artes plásticas, música etc.) e com a cultura, num sentido amplo. Todos os trabalhos trarão como preocupação central o fazer literário na contemporaneidade, tendo como recorte cronológico as obras da literatura brasileira produzidas a partir de 2000.”

O grupo GALABRA e a professora galega Carmen Villarino colaboram ativamente na organização do evento de caráter internacional que neste ano tem como marco a Galiza.

Deixo-vos a página das inscrições por se for do vosso interesse.

Luiz Ruffato na UDC

240px-Luiz_RuffatoO escritor brasileiro Luiz Ruffato visitará a cidade de Hércules para recolher o prémio da AELG que lhe dá o reconhecimento de “escritor galego universal”.

Por vezes a Galiza é assim, sabe reconhecer os talentos de fora. Oxalá também tivessem prémios cá os nossos escritores/as galegos/as em língua portuguesa. Ainda há pouco que o escritor galego Mário Herrero Valeiro ganhou o prémio literário Glória de Sant’Anna e estas coisas sempre me fazem refletir sobre as fronteiras culturais e outras mais fortes, as mentais.

Pronto, depois desta pausa analítica, vamos com o Luiz Ruffato de volta. Conheci Luiz Ruffato numa seleção de contos de Laiovento, O conto brasileiro contemporâneo, que podem descarregar nesta ligação. Ele e a professora galega Carmen Villarino fazem o prefácio. Desde esse momento quis saber mais dele.

No dia 7, às 12h30, na Faculdade de Filologia da Corunha dará uma palestra intitulada Uma literatura na periferia do mundo. Fico triste por não poder ouvi-lo. Vão lá e digam-me como é que foi.