Se não e Senão

Vamos hoje com uma dica express dessas muito rápidas.

A dupla Se não/Senão faz muita confusão não só nas pessoas que escrevem português, mas também em falantes de espanhol. Como na Galiza há um pouco de cada realidade, decidi fazer este post.

Basicamente os usos de Senão e Se não coincidem nas duas línguas a exceção de um caso. Vou então ilustrar com uma imagem cada um dos usos.

Eu acompanho a página Língua Portuguesa do Facebook e a verdade é que nos últimos tempos tem tornado mais fáceis muitas das explicações que dou. Uma imagem vale por mil palavras…

wpid-fb_img_1438592984198.jpgEntão fiquem com a dica, se pudermos substituir por Caso contrário, então é Senão. Se estivermos numa oração condicional negativa, então é Se não.

Um outro uso da palavra Senão é como substantivo. Neste caso significa Defeito, Desvantagem…Por exemplo: Por mais que eu explicasse, ele só encontrava senões na minha argumentação/ Os telemóveis têm aquele senão de deixar-nos cada vez mais isolados.

Recapitulamos…

Cantamos um bocadinho?

Escrever: escolher, eleger

Vamos agora com uma das minhas batalhas particulares: as escolhas.

Pessoas indecisas…como lidar com elas? quando se convive com uma pessoa indecisa, provavelmente colherá os frutos desta vida imprecisa, ou seja, vai ter que conviver com alguém que vive constantemente mudando de ideia e faltando com a sua palavra. Como de chato é isso de agora sim, agora não, talvez, sei lá…

escolha1

Coloquei esta questão logo no início para falarmos de dois verbos que nem sempre são fáceis de usar, sobretudo porque muitas vezes pensamos que são sinónimos totais e não. Uma vez que soubermos cada caso, o uso é bem simples.

  • Uma “escolha” é uma seleção de alguma coisa entre um conjunto de coisas. Isto vem do verbo “escolher“. Por exemplo: para escrever, eu escolho sempre a caneta azul; Havia montes de sapatos, mas eu escolhi os oxford.

Gostam de escolher e tomar decisões? atrevam-se com o quizz de Venha o Diabo e Escolha. As perguntas são fáceis, mas as respostas são sempre uma escolha bem difícil.

  • Derivado do verbo “eleger” é o substantivo “eleição”. Quando elegemos fazemos isso por meio de uma votação: hoje elegeram o representante da junta da freguesia.

principal_eleicoes_1

 

Então, como é que é? Sim ou Não?

Maria de Medeiros em Compostela

15491_1_crop.pngMaria de Medeiros é uma das atrizes que marcaram a minha adolescência. Pulp Fiction foi desses filmes inesquecíveis para mim: drogas, histórias fragmentadas, palavrões…e Maria de Medeiros. Gostei muito do papel dela na fita e anos depois soube que esta musa de Tarantino era portuguesa.

A Maria de Medeiros chega da França com um disco intitulado A Little more blue,  o último trabalho musical da multifacetada atriz. Tem canções de resistência contra a ditadura militar brasileira. As letras são temas do Chico Buarque, Gilberto Gil e Caetano Veloso, com isto consegue fazer uma homenagem aos grandes criadores da bossa-nova. Ela própria define o álbum como: “Uma homenagem azul matizada pela distância que nos separa dos anos revolucionários, manchado pela saudade da minha cultura lusa, pela minha percepção de intérprete de língua portuguesa que se situa necessariamente numa perspetiva diferente, diferente também talvez porque eu própria sou uma expatriada”

Este concerto completa a programação do festival de cinema Cineuropa, de facto, a atriz é uma das premiadas nesta edição. Se tiverem uma tarde de folga e quiserem conhecer o trabalho dela como realizadora, recomendo o visionado do filme Capitães de Abril, sobre a Revolução dos cravos.

Segunda, no teatro Principal, pelas 20h30 podem ver a Maria de Medeiros cantar ao vivo. Deixo aqui a versão que ela faz da música do Chico Buarque “O que será”

Gostos não se discutem, apreciam-se

Odi et amo. Quare id faciam, fortasse requiris.

Nescio, sed fieri sentio et excrucior.

Catulo.

Catulo é um dos meus poetas preferidos. Confesso que sempre tive um fraquinho pelo latim. No secundário e na universidade eu era a nerd das línguas clássicas. Gostava imenso.

É incrível que este poema (Carmen 85) fosse escrito há tanto tempo e que cada palavra ainda tenha sentido hoje para nós (ok, ou apenas para mim).

Odeio e amo. Como isso é possível, talvez perguntes.
não sei, mas sinto que é assim e sofro terrivelmente.

Catulo é o poeta dos sentimentos, o escritor dos gostos, das paixões.  Nunca vai ser demodeé.

Assim como o Catulo fez, nós vamos exprimir os nossos gostos. Podemos utilizar este elenco de verbos, por exemplo.

  • Gosto: gostar, gostar muito, gostar imenso, adorar, amar
  • Não gosto: detestar, odiar, não aguentar, não aturar, não gostar

images

VERBO GOSTAR

Igual que acontece no inglês, o sujeito neste tipo de construções é quem gosta e o complemento é o “gostado”: I like ice cream/Eu gosto de gelado

Isto significa que o sujeito deste tipo de frases vai ser sempre um pronome pessoal ou um substantivo.

Devemos evitar construções erradas como:

*Gostan-me os gelados/*me gostam os gelados.

Dependendo do que quisermos exprimir, a contrução pode variar um bocado:

gosto de ler

gosto de bananas

gosto que sejas assim

*gosto de que sejas assim

GOSTAR DE+ Infinitivo ou substantivo

GOSTAR QUE+ Verbo conjugado

VERBO ODIAR

Tem uma pequena irregularidade:

Eu odeio

Tu odeias

Ele/Ela/Você odeia

Nós odiamos

Eles/Elas/Vocês odeiam

E como os gostos não se discutem, eu resolvi que só vou gostar de quem gosta de min.

Cidade maravilhosa

Uma vez ouvi que “a cidade é um lugar onde as pessoas ficam sozinhas juntas”. Não sei se concordar com esta visão estereotipada ou não. Aliás, nunca tive claro o que uma cidade é. De facto, não há um padrão mundial que a defina. Esta definição varia de país para país. Tradicionalmente os organismos públicos consideram a existência de uma cidade baseados em critérios quantitativos. Na Dinamarca, por exemplo, bastam 250 habitantes para uma comunidade urbana ser considerada uma cidade, e na Islândia, apenas 300 habitantes. Em Portugal uma cidade só pode ser cidade se tiver mais de oito mil eleitores, num aglomerado populacional urbanizado contínuo. No Brasil, no entanto, a definição legal de cidade, do ponto de vista demográfico, adotada pelo país é a do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Nestes dias entre feriados na Galiza, estar numa cidade é estar num deserto. Habitantes é que faltam. Não pude parar de lembrar uma leitura que fiz: A cidade depois de Pedro Paixão, 13 textos escritos em Nova Iorque depois de 11 de setembro. Um desses romances em que uma cidade é protagonista, como tantas vezes na literatura. Deixo o PDF por se alguém quiser “palmilhar” literariamente Nova Iorque: PedroPaixao-ACidadeDepois

Vamos ver hoje vocabulário da cidade em português do Brasil. Lojas, serviços e instituições públicas:

E durante o nosso percurso urbano, podemos ouvir como o Caetano Veloso canta à “Cidade Maravilhosa”

Animais como nós

Joaninha, voa, voa
Que o teu pai está em Lisboa
A tua mãe no moinho
A comer pão com toucinho

Joaninha, voa, voa
Que o teu pai está em Lisboa
Com um rabinho de sardinha
Para comer, que mais não tinha

Isto é uma lengalenga que todos e todas na Galiza cantamos alguma vez com qualquer variação. A protagonista é uma joaninha, um animalinho super-fofo que também sai neste vídeo para aprender nomes de animais:

(Onde diz *jirafa, deve dizer “girafa”)

Além destes substantivos, na língua portuguesa existem uma série de expressões, quase totémicas, tipo: gordo como um texugo, forte como um touro…É sempre bom sabermos isto se queremos falar uma língua com naturalidade e expressividade.
Vejam estas expressões neste ficheiro PDF:
expressoes idiomaticas com animais

Para verificarem o aprendido podem ir aqui.

Gostam de animais selvagens? esta música do Caetano é a rainha da floresta: