Birds are indie fazem tour na Galiza

BirdsAreIndie_galiza-marzo2014_blogA banda de Coimbra chega de novo à Galiza para oferecer-nos as suas músicas num tour feito em (muitas) pequenas salas.

Não sei se a Joana e o Ricardo são dois namorados que fazem música ou se foi a música que os uniu, só sei que é uma dessas bandas hipster, com músicas indie-folk.

Amantes das calças cigarette, óculos de massa, bigodes e peças de roupa em segunda mão…apenas vos vou dizer que esta banda é a vossa cara. Coloco o cartaz no post e assim já conseguem acompanhar os músicos pela nossa geografia, há um monte de datas para escolher.

Anteriormente já tinham estado no “Terrazeando” em Compostela, onde partilhavam cartaz com os A Jigsaw. Só tive oportunidade de ver esta segunda banda, mas agora talvez esteja na hora de ouvir os Birds are Indie.

Anúncios

A ilha das flores em Boiro

216998_566662323368629_962432715_nEsta semana, os seres de polegar opositor e tele-encéfalo altamente desenvolvido poderemos ver o documentário brasileiro A ilha das flores em Boiro.

A fita de Jorge Furtado viaja até ao Barbança graças ao Aturuxo. Neste local social apostaram em filmes e curta-metragens em versão original e quero de aqui dar os parabéns pela iniciativa. Não é assim tão fácil ouvir vozes reais de atores e atrizes neste país.

Pelo que pudemos saber, têm o intuito de incluir filmes de países lusófonos com regularidade dentro do ciclo Noite de documentários.

Para criar um bocado de expectativa entre os nossos leitores e leitoras, quero dizer que esta é uma das obras mais cotadas dentro do audiovisual brasileiro. Um documentário de culto que é visionado em escolas e universidades (eu própria conheci desta maneira a fita). Através da história de um tomate e da demonstração do consumo e desperdício diários de materiais (lixo), o autor aborda toda a questão da evolução social de indivíduo, em todos os sentidos. Torna evidente ainda todos os excessos decorrentes do poder exercido pelo dinheiro, numa sociedade onde a relação opressão e oprimido é alimentada pela falsa ideia de liberdade de uns, em contraposição à sobrevivência monitorizada de outros.

A curta escancara o processo de geração de riqueza e as desigualdades que surgem no meio do caminho.

Depois da visualização, haverá um pequeno colóquio para trocar dois dedos de conversa. Para quem estiver por perto e quiser dar um saltinho…recordem que é esta sexta pelas 21h30, no local social Aturuxo, em Boiro.