A minha lista de youtubers

(Este artigo foi publicado pela primeira vez no Festagal de 2018)

É a uma da tarde, estão à espera do comboio, numa fila para levantarem entradas para um concerto, ou prestes a entrarem ao consultório médico…antigamente teríamos solucionado essa enorme seca metendo conversa com a pessoa ao lado, mas hoje o telefone invadiu as nossas vidas.

Na era dos vídeos e das stories do Instagram não podem faltar umas boas dicas sobre youtubers ou canais de Youtube.

 

Culturgal 2016

culturgal-550x400Todos os agentes culturais do país estão em pulgas para três dias de atividades e divulgação. Começa o Culturgal deste ano!

Selecionei cá algumas coisitas para vocês fazerem durante a sexta e o sábado.

-SEXTA:

-pelas 18h30 Inês Fonseca Santos e Marta Madureira apresentam o livro infanto-juvenil A palavra perdida. O livro conta a história do Manuel, que perdeu uma palavra e deverá descobrir qual é que era. O resumo da trama, acho que antecipa uma história muito bela.

-SÁBADO:

-Às 13h15 apresenta-se Nortear, o programa de difusão da cultura entre a Galiza e o Norte de Portugal. Querem saber as novidades do ano? Não percam esta apresentação.

-Às 17h, lançamentos Para além dos tópicos da Através Editora. Poderemos ver a apresentação de Mecanismo de Emergência Tiago Alves Costa, Bolcheviques com a coordenação da Teresa Moure, A imagem de Portugal na Galiza de Carlos Quiroga, A imagem da Galiza em Portugal de Carlos Pazos Justo e O penálti de Djúkić de Carlos Taibo.

Já durante os três dias, não esqueçam que a Através e a Ciranda à volta do português vão levar as suas bancas onde poderão antecipar algumas compras literárias de Natal…e também meter dois dedos de conversa com esta que escreve.

 

Ler contos com diferentes sabores da nossa língua II

Chega aí uma segunda edição do Ler contos com diferentes sabores da nossa língua. Lembram-se? no ano passado na biblioteca Ánxel Casal de Compostela houve uma iniciativa conjunta da AGAL e da própria biblioteca para achegar as literaturas lusófonas aos miúdos (e também aos graúdos). Felizmente, o evento conta com uma segunda edição que decorrerá amanhã às 18h30.2016_04_23_2ªedición_Ler-contos-com-diferentes-sabores-da-nossa-língua

As pessoas que vão pôr voz aos contos são:

  • Angola: Sara Vongula
  • Brasil: Márlio Barcelos
  • Galiza: Ángeles Goás
  • Portugal: João Ribeirete

Vão a esta atividade e sejam felizes como petizes!

Palavrar a língua

image

image

Amanhã começam as primeiras Jornadas Apalavrar a Língua organizadas pelo sindicato STEG no Museu do Povo Galego.

Só faço este artigo para puxar a brasa à minha sardinha, na verdade. Esta que escreve vai fazer um ateliê de lusofonia. Gostava que viessem! vai ser divertido! nunca o meu nome tinha aparecido num cartaz ao pé do do Fernando Pessoa e Rosalia de Castro. O patamar ficou bem alto…

Vêm? apalavrado? Espero-vos.

V Português Perto

11159964_909527329110367_1716238317972025986_nEsta edição do Português Perto escreve-se com V. Com V de 5 em numeração romana e com V de Vitória, porque 5 anos já é coisa séria.

Um lustro manifesta a soma de vontades que em cada edição se reúnem para trabalharem. Cada edição é testemunha do interesse manifesto na língua e cultura portuguesas por parte da cidade de Ourense.

Neste ano, a parte mais estritamente lusopata é o ateliê OPS! de que já falámos noutros artigos algumas vezes.  Este ateliê visa demonstrar a vantagem competitiva dos galegos e galegas com a língua portuguesa. É uma atividade divulgativa criada pela AGAL que dura uns 100 minutos. O palestrante por meio de atividades interativas dá a conhecer os pontos fortes (e fracos) dos galegos a respeito da lusofonia.

Neste Português Perto temos três dias de programação para desfrutar dos diferentes sabores da nossa língua. Começa amanhã o ateliê OPS mas no resto dos dias temos o melhor da música galega atual concentrado nestes concertos.

O léxico da Galiza, Portugal e do Brasil

10348468_832413656813317_2066543478630840449_nIsto é uma palavra galega? é uma palavra lisboeta? é uma palavra que na Galiza nunca foi usada? é um castelhanismo?…o tema do léxico sempre suscitou vários debates e discussões intermináveis.

Carlos Garrido, professor de tradução técnico-científica na Universidade de Vigo e presidente da Comissom Linguística da AGAL, falará na EOI de Ferrol sobre léxico. Que é comum? que é legitimamente divergente?

A palestra tem como objetivo sedimentar o nosso conhecimento e limpar o nosso vocabulário de certas expressões se calhar não tão galegas como pensamos.

Esta quinta-feira, na Sala de Atos, às 19h.

Ler contos com diferentes sabores da nossa língua

984296_646635455464390_1008701841489832732_nSermos duros de ouvido tem fácil remédio e uma deteção precoce.

No dia 26 de março na biblioteca Ánxel Casal em Compostela miúdos e graúdos poderão ouvir contos com diferentes sotaques lusófonos. Esta é uma iniciativa da AGAL e da própria biblioteca para achegar as literaturas, culturas e léxico lusófono ao público infantil.

Ás 17h30 na sala infantil pessoas de Angola, Portugal, Galiza e Brasil lerão histórias dos seus países para os mais pequeninos. Deixo-vos cá quem representa quem:

Angola: Sara Vongula
Brasil: Vivian Rangel e Márlio Barcelos
Portugal: Joana Martins

A parte galega ainda é um mistério bem guardado, mas tudo o que é bom faz-se esperar.

No final da atividade a Joana Martins fará um ateliê para aproximar o léxico galego-português das crianças, por forma a elas terem um maior conhecimento e familiaridade.

éMundial

éMundial-2014-cabeçalhoO éMundial é um festival que envolve muitas atividades com um nexo comum: a língua. Para pôr em valor a nossa língua o festival tem este ano uma campanha O Mundial Fala Galego, que foi reconhecível nos média. Quem conferir nesta ligação, poderá ver o espírito do evento e mesmo aderir enviando uma fotografia e um comentário. Qual é esse espírito? aproveitar a Taça/Copa do Mundo de futebol no Brasil para frisar a internacionalidade da nossa língua e as potencialidades económicas que ela tem.

Neste sábado 5 de julho decorrerá o éMundial em Arçua, com atividades para miúdos e graúdos. Exposições, palestras, culinária africana, espaço-criança, lançamentos de livros irão tornar a experiência deste sábado numa viagem sensorial pela lusofonia.

Neste ano é a terceira edição e a Agal propõe organizar o evento por espaços: um espaço central, um espaço Semente para as crianças, o restaurante, a sala1, o balcão da Superbock e uma zona de entidades e exposições. Cada espaço tem uma programação diferente e envolve propostas focadas em diferentes públicos. Nós vamos falar do restaurante, o espaço central e a sala 1.

No restaurante poderão experimentar a culinária africana mais típica de Angola, cozinhada pela senhora Filó: moqueca e cachupa.

No espaço central podem ir a um ateliê de percussão brasileira, a lançamentos de livros e concertos. Podem conferir o programa nesta ligação, mas adiantamos que poderão ver o músico Alberto Mvundi ao vivo.

A sala 1 é um espaço para atividades coletivas e interativas. Lá decorrerá um encontro de clubes de leitura em português (Pega no livro), uma mesa redonda sobre a ILP Valentim Paz Andrade e um Pecha-Kucha onde organizações terão cinco minutos para explicarem aquilo que fazem. Vejam o programa.

Deem um saltinho. Lusofonia e queijos de Arçua é um bom plano para um sábado qualquer.

Cursos online de português

Começado o curso escolar, existem ainda muitas oportunidades para aprender português e aprender da maneira mais confortável possível: de casa.

Já falámos noutras ocasiões da plataforma Falarmos.com da Agal, hoje é a vez do Curso online de português básico da CIG.

Esta semana começou o período de inscrições. Não percam a chance de resolver todas essas dúvidas e de se achegarem à estratégia luso-brasileira. Poderão treinar a compreensão oral e escrita e apurar algumas questões.

O curso tem uma duração de 30 horas e decorrerá do dia 9 a 29 de novembro. No final terão um título com o carimbo da CIG, então se forem trabalhadores ou trabalhadoras da função pública, este curso conta para sexénios e outros concursos, como as transferências de centros de trabalho.

 

Falarmos

Por vezes não temos muito tempo ou recursos para aprender coisas novas. Ao começar o ano, fazemos muitos bons propósitos: deixar de fumar, ir ao ginásio, aprender a tocar piano, aprender novas línguas… Se ainda não riscou nada desta lista, hoje damos uma chance para o fazer.

A AGAL é um mágico que tem na cartola muitas surpresas boas. Fazer coisas com poucos recursos é magia e esta associação é ciente disso. Recentemente criou a plataforma Falarmos.com, uma iniciativa que visa fortalecer o conhecimento por parte dos galegos e as galegas da língua internacionalmente conhecida como português, e nomeada comummente na Galiza simplesmente galego.
Dentro desta plataforma podem encontrar duas disciplinas disponíveis. A aprendizagem é on-line e inclui práticas escritas e dinâmicas de grupo:
Escrever com NH: para quem quiser dominar a expressão escrita da nossa língua na norma AGAL e portanto participar de uma visão internacional do galego.
-e Falarmos Brasil: este curso on-line vem a facilitar o percurso que a aluna, o aluno galego tem de percorrer para, partindo dos falares galegos, aterrar no formato brasileiro de língua. Para além do código linguístico, o curso fornecerá aspetos culturais que nos ajudem a entender melhor o Brasil e a sua cidadania.

Ambos os cursos têm preços populares e um número de vagas limitado. Não adie mais e comece a riscar objetivos!