Complemento Direto e a preposição A

Quando faço de professora no ensino público o meu sentido aracnídeo anda a formigar. Sem eu dar por isso estou mentalmente a avaliar tudo, há qualquer coisa que no meu cérebro está a pipocar.

Agora que volto a trabalhar por um tempo com adolescentes, estou mais alerta ainda, porque também assim avalio a situação da língua entre as gerações mais novas.

Cada vez ouço mais estruturas do tipo: mataram a um homem*, conhecer a alguém* e entre os meus alunos e alunas também não existe a perceção de que isto esteja errado.

O Complemento Direto e a preposição A é uma marca típica do espanhol, que não existe noutras línguas como o italiano, o português…

índiceComo norma geral, o complemento direto (CD) não leva preposição: vi Pedro na rua. É incorreto dizer: Vi a Pedro na rua*.
Antes de mais, pode haver qualquer dúvida com o que é um Complemento Direto, portanto, vamos ver (ou refrescar) o que é que é isso.
Lembra-se quando na escola explicaram que o CD é aquilo que sofre a ação do verbo? Por exemplo: a filha come feijão, o CD é o feijão porque é o que é comido pela filha, sendo assim o que sofre a ação do verbo.
Este complemento, se se referir a pessoas (ou seres animados), como no primeiro dos exemplos, também não leva preposição A.

A filha mais nova chamou os tios
Convencemos o António
Estão a investigar as autoras do crime
Traiu os investidores

Contudo, como na vida mesma, há alguns casos que rompem esta regra geral.

  • EXCEÇÕES:

-para evitar a ambiguidade e evitar a confusão entre o sujeito e o complemento: a onça ao caçador surpreendeu.
-se o CD está numa construção pronominar (ações reflexivas, recíprocas…): viu-me e a si própria refletidas no espelho.

ATENÇÃO!

Recorde que com nomes de pessoa o português pode colocar artigos antes: o Pedro, o António, o Luís…a Maria, a Constança, a Helena…neste último caso o A é um artigo e não uma preposição.

 

Escrever: há, ah, à, a

Note-se que isto serve como memorando e não para apontar com o dedo a alguém…qual nada!, não é para ficarmos corados, mas um dos erros que mais frequentemente encontro nos escritos é este.
Com efeito, estas quatro palavras parecem-se e isso pode fazer com que apareçam dúvidas.

*HÁ
É a terceira pessoa do singular do Presente do Indicativo do verbo Haver. Usamos esta palavra em:
-Na mesa da cozinha há uma maçã (para assinalar que uma coisa existe)
-Há anos que vou a ioga (=desde esse tempo)

*AH
É uma conjunção que exprime surpresa, admiração…
-Ah, não me lembrei de te dizer isso!
-Ah, que cachorro tão lindo!

*A
Pode ser ou uma preposição ou um artigo definido feminino singular.
-A casa da tua avó é grande (artigo)
-Começaram a gritar de medo (preposição)


É a preposição “a” contraída com o artigo definido “a”. O acento que tem é sempre grave e só aparece em sete palavras da língua portuguesa, que agora vai ficar a saber:
-à (a+a): O comboio chegou à cidade.
-às (a+as): O autocarro partiu às 16.00
-àquele (a+aquele): Foram àquele bar tomar uns copos
-àqueles (a+aqueles): Foram fazer montanhismo àqueles montes
-àquela (a+aquela): Nunca fui àquela palestra de economia
-àquelas (a+aquelas): Nunca fomos àquelas montanhas
-àquilo (a+aquilo): Liga sempre àquilo que falámos

Tanto papo de linguista e ainda ficou com dúvidas? veja o vídeo a seguir.

Outras dificuldades ortográficas com o acento diferencial, podem ser estas. Com esta imagem sabemos que acento devemos colocar:

481673_391979890879863_2004494482_n

E agora verifique agora os seus conhecimentos aqui.