Galiza com o 25 de abril

Não podia ser doutra maneira. A Associação José Afonso – Galiza organiza um programa de atividades muito completo para comemorar o 25 de abril.

Desde ontem até o dia 28 do corrente mês vamos ter eventos para poder aprender e ter mais conhecimento sobre a cultura portuguesa e o seu episódio mais destacado.

Hoje, na Faculdade de Geografia e História de Compostela, na sala 10 às 19h30, temos a palestra “Os dias da liberdade”, com Camilo Mortágua, capitão de abril, e Margarita Ledo, que na altura viveu exiliada em Portugal.

Amanhã, no feriado mesmo, inicia-se uma exposição de cartazes sobre a revolução no Auditório Municipal de Rianjo e em Compostela, às 21h, sairá da Praça de Cervantes um bloco a cantar o Grândola. Aquelas pessoas que quiserem podem unir-se.

No dia 28 haverá um concerto de graça (“Abril sempre”) às 19 na Praça de Cervantes com José Manuel Esse Trio e Manuel Teixeira & António Rosa.

Vão perder?

25 de abril no bairro do Calvário

Chega o dia mais comentado no nosso blogue. Têm já os cravos e o disco de canções da revolução a tocar? Começamos então anunciando as atividades do bairro do Calvário de Vigo que decorrerão na EOI da cidade e no mercado. A algumas delas, infelizmente, já não chego com muito tempo para avisar. Vou então com aquelas que ainda podem fazer:

-Exposição de Henrique Gabriel: “Os rostos das palavras de abril” no mercado do Calvário até 28 de abril.

-Palestra do Capitão de abril José Vieira: “História viva de abril” às 19h30 do dia 24 de abril na EOI.

-Teatro “A nobre cauda” de Tomaz Figueirido no auditório da EOI de Vigo.

Vamos nessa!

25 de abril também em Caldas

10881504_965672606785171_7820461643892575838_nAdoro fazer estreia de tags. Hoje escrevo uma nova: Caldas.

Nunca tinha feito um artigo sobre este município e é sempre bom alargar a família dos lugares lusopatas e mais ainda dos lugares lusopatas que não são cidades, porque isso significa que há qualquer coisa nas sensibilidades que está a mudar.

Este post é especial por vários motivos. Vejam só o cartaz da imagem. Nesta semana o Lusopatia tem dois eventos a falar dele próprio (ontem fomos à EOI de Compostela) e será uma tal Carmen Saborido que fale disso.  O nome dela nunca foi escrito junto com entidades tais como a RTP, mas pelo que me disse, vai dar o seu melhor.

No marco da programação cultural da Associação Zona Afectada com motivo do 25 de abril, daremos uma pequena palestra sobre a Revolução dos cravos e cultura portuguesa.

De aqui, muito obrigada à associação por pensar em nós para tal desafio.

O nosso pequeno colóquio serve como introdução a um ciclo de cinema que vem logo a seguir. O programa de atividades inclui noticiários, curtas e documentários de vários países lusófonos. Encerramos, obviamente, com o Grândola. Vejam:

  •       Noticiário RTP do 25 de abril de 1974
  •       Documentário da Revolução dos Cravos
  •       Tudo que movimenta, de Thamara Pereira
  •       Ana Monstro, de Francisco Miranda
  •       Assinado Inês, de Rita Fernandes
  •       Igual, de Ruben Sabrão
  •       Grândola, Vila Morena, de Zeca Afonso

Este domingo, às 19h, a gente vê-se no Hotel O Cruceiro de Caldas. Traz um amigo também!

Abrilada em Ferrol

11181886_10204268921751040_8206752642832093608_oAbril é sempre um mês de muito trabalho no Lusopatia, não podia ser doutra maneira.

Amanhã em Ferrol a EOI, Rádio Filispim, Artábria e o Ateneo Ferrolán cooperam para rememorarem com um vasto programa o aniversário do 25 de abril.

De 24 a 28 de abril temos várias propostas culturais que tocam este evento histórico de diversas maneiras: documentários sobre o Zeca Afonso e a fuga de Peniche, teatro e um programa de rádio com músicas especiais é a combinação perfeita para três dias de agenda. Vejam lá o programa na imagem.

Quem por lá estiver, será uma pessoa com sorte.

Filosofia e revolução

cartel_xxxiEntre os dias 21 e 25 de abril haverá em Ponte Vedra um ciclo de palestras viradas ao tema filosófico. É a Semana Galega de Filosofia.

Entre os nossos leitores e leitoras esta notícia é já um lugar comum, pois cada ano o evento aposta em pessoas do mundo lusófono. O título deste ano vem mesmo a calhar com as datas, 25 de abril é revolução!

A inscrição está aberta até o dia 18 de abril. Ainda vão a tempo de frequentar interessantes palestras na nossa língua. Nem tudo vai ser samba e lançamentos de livros. Se estiverem interessados, confiram aqui.

A aposta lusófona é Otelo Saraiva e Aurélio Fabião Ginja. O primeiro dos palestrantes de que vos falo, é um militar revolucionário que participou no 25 de abril. Um vulto na história de Portugal, pois participou na revolução sendo um grande estratega e chegou a estar preso em Caxias durante anos. Otelo Saraiva falará da “Revolução vivida”, imagino que a palestra terá muito de autobiográfico.

Aurélio Fabião Ginja é um antropólogo moçambicano que também falará de revolução mas num contexto diferente, longe do eurocentrismo a que estamos habituados. A palestra dele, intitulada “A Revolução Moçambicana e as visões filosóficas hegemónicas” aproximar-nos-á de realidades desconhecidas ou, infelizmente, frequentemente, estereotipadas.

Podem consultar o programa nesta ligação.

Querem ter umas noções básicas antes de irem ao congresso? vejam o Otelo Saraiva no conhecido programa da tv “5 para a meia noite”.

 

 

 

Luandino Vieira e cravos em Compostela

164276_4535442386547_563500673_n

Dois eventos confluem nesta próxima semana: o dia do livro e  o 25 de abril.

A livraria Ciranda, em Compostela, sabe aproveitar bem isto. Uma livraria especializada em livro em português tinha de ser capaz de unir estas duas datas. No dia 24, pelas 19h30, organizará uma festa para comemorar a Revolução dos cravos com o melhor dos programas. Salgadinhos, pastéis de nata, vinho do Porto, cravos e Luandino Vieira.

Trazer o Luandino Vieira a Compostela é verdadeiramente uma demonstração de persuasão da equipa Ciranda. O escritor angolano leva anos desaparecido da vida pública. Desta vez fará uma exceção e virá falar à Ciranda da editora Nóssomos, especializada em literatura angolana. Isto tudo irá ser acompanhado com a música de Uxía, Vítor Coyote e Rómulo Sanjurjo, A banda hospitaleira do Minho, por outras palavras.

Mas, para quem quiser seguir o calendário à risca e não deitar foguetes antes da festa, no dia 25 também haverá atividades. A Ciranda propõe uma cantada coletiva do Grândola no Obradoiro. Acheguem-se, tomem café e vão cantar. Nesse dia haverá descontos especiais!