Palavras heterotónicas português-espanhol

Há um tempo escrevemos um post sobre a acentuação gráfica em português. O nosso objetivo era fazermos um achegamento a essa questão ortográfica de maneira intuitiva. Podem ver o artigo 5 dicas para uma acentuação intuitiva e refrescarem alguns conhecimentos.

Hoje queremos colocar uma outra questão: o próprio acento, a tonicidade, a intensidade. Quando aprendemos português e somos pessoas galegas, muitas vezes deparamos com um desafio quanto a este assunto. Aprender português é muitas vezes reaprender a fonética de palavras com que levas a conviver anos.

Neste infográfico fazemos uma lista com as palavras heterotónicas mais habituais, indicando em letras capitais onde temos a intensidade.

Há um grupo de palavras heterotónicas bastante grande que se corresponde com cultismos de origem grega. Podemos fixar certas terminações na nossa memória que nos vão ajudar.

É a vossa vez, como é que se pronuncia Lusopata?

Como podemos saber o género das palavras?

Nem sempre é uma questão fácil, mas lá vão umas dicas.

A língua, como a sociedade, está sempre a experimentar mudanças constantes. Façamos que a língua seja capaz também de dialogar com todas as pessoas. É a vez de conhecermos o sistema pronominal não binário ou neutro: o sistema ELU. Podem consultar esta ligação para saberem mais.

Os acentos e o til de nasalidade

Neste post explicamos o que são os acentos e o til. Cada signo gráfico tem a sua função e tem a ver com como a acentuação gráfica marca também a abertura das vogais e a sua natureza.

Este artigo é complementado com 5 dicas para uma acentuação intuitiva e til de nasalidade.

Deixo-vos então este infográfico descarregável.

Com S

Quem está em contacto com várias línguas tem muitas vantagens. Ter muita acuidade visual e memória fotográfica ajuda muito na questão ortográfica, mas este é um post para aquelas pessoas que sentem que escorregam um bocado nas mesmas questões no momento de escreverem. Por outras palavras, estes são exemplos pouco intuitivos de palavras com a letra S.

Itália e Portugal: algumas conexões

O dia 25 de abril é feriado em Portugal e também na Itália. No país de “lo stivale” é o “giorno della liberazione” porque comemoram o fim da ocupação nazista. Suponho que num blogue como este é escusado explicar o motivo deste feriado em Portugal.

Recentemente tenho feito uma viagem à Itália e durante o percurso dei em mim a pensar nas muitas conexões entre estes dois países. Decidi criar este “livro” interativo de atividades onde vos explico um bocado algumas delas. Toquem, cliquem, reproduzam…!

Falso amigo: quitar

Espero que este ano académico tenha começado com muita energia para vocês. Com o início das aulas, podem chegar também novas dúvidas.

Algumas vezes queremos traduzir literalmente, não nos lembramos já das coisas aprendidas o ano passado ou não sabemos bem se o verbo em que estamos a pensar vai ter o mesmo significado em português. Vamos aí com um que sei que vai ser muito útil.

Quitar é em português pagar ou satisfazer uma dívida: a empresa quitou-se das suas dívidas.

Se quisermos exprimir em português a ideia de extrair, obter ou mesmo eliminar….podemos usar o verbo Tirar.

  • tirei essas informações da net
  • tira o casaco, que está muito calor

Oxalá

Antes de ontem algumas das minhas melhores amigas participaram no concurso público para serem professoras de Português no ensino secundário. As vagas são poucas, apenas quatro, mas não me ocorrem pessoas mais preparadas ou que mereçam mais.

Contudo, nisto dos concursos existe uma dose de sorte bastante grande. Passei o dia a colocar Oxalás na minha cabeça, como se fosse eu a concursar. Estou a fazer figas! Mando um grande abraço e muita força para elas!

Afinal o que eu tenho é um desejo de que algo aconteça e interjeição Oxalá é usada para exprimir isto mesmo. Para sabermos a origem desta palavra temos que ir às raízes árabes, à expressão “‘in sha’ Allah“, cujo significado é “se Deus quiser”.

O Oxalá, como é uma interjeição, pode funcionar como uma resposta em si mesma.

-Achas que afinal vamos passar no teste?

Oxalá!!

Quando na nossa língua o Oxalá vai acompanhado de um verbo, este tem que estar conjugado e estar no modo Conjuntivo. Temos assim dois esquemas possíveis: uma hipótese mais provável e outra menos provável.

Vou dar uns exemplos para isto ficar mais claro:

Oxalá a Pabllo Vittar cante “Problema seu” (cá estou a considerar que existem muitas probabilidades de isto se concretizar)

Oxalá a Pabllo Vittar cantasse “Problema seu” (cá estou a pensar que não há muita hipótese)

Não podemos fazer é combinar o Oxalá com Infinitivo: Oxalá ter um carro novo*. Neste caso teríamos que dizer: Oxalá tenha/tivesse um carro novo.

Podemos ver muitas destas construções nesta música dos Madredeus.

Embora a palavra Oxalá seja muito conhecida na lusofonia, no Brasil a forma preferida é Tomara, Tomara que sim ou Tomara que não. E olhem que canção tão icónica temos por cá…

Por vezes, duas palavras com duas origens diferentes acabam por ter afinal o mesmo “aspeto”. Isto acontece com frequência no português, é um fenómeno que se chama Homonimia. Na língua iorubá, o substantivo Orinsalà também derivou em Oxalá. Como sabem, o Brasil é um país com muitas confissões religiosas. Uma das religiões mais conhecidas é o Candomblé, nesta fé o nome de Oxalá é reservado para o orixá (deus, santo) criador da humanidade e do mundo. Este orixá é reverenciado na festa do Bonfim em Salvador da Bahia.