Escrever: perto, cerca

Proximidade entre desconhecidos pode chegar a ser incómoda.

Um artigo publicado pelo biólogo Dario Maestripieri em Wired indaga na relação que existe entre a atitude dos seres humanos nos elevadores e os ancestrais instintos que partilhamos com o resto dos primates. A resposta instintiva costuma produzir condutas de auto-proteção. Assim, em elevadores cheios, as pessoas ficam paralisadas e olham o teto, o chão ou os seus botões. Se dois estranhos se encontrarem, afastar-se-ão quanto possível, sem se encararem diretamente, sem se olharem.conversa elevador

Ainda que os elevadores são um invento moderno, já se têm produzido no passado situações de proximidade com outras pessoas em espaços fechados. Por exemplo, no Paleolítico. Maestripieri coloca o exemplo de dois cavernícolas que perseguem as pegadas de um grande urso numa estreita cova. Nesse caso o perigo, mais do que o urso, é o caçador rival. E naquela época, o assassinato era uma “maneira aceitável de sair de situações socialmente incómodas”, como hoje é usado um encontro com o médico como escusa para sair cedo de uma festa.

Embora o ser humano evoluísse muito nos últimos milhares de anos, o instinto nas situações de perigo permanece intacto e é partilhado com outros primates. Desta maneira, os macacos que estão juntos numa jaula tentam fazer qualquer coisa para evitarem uma agressão: mover-se com cuidado, agir com indiferença ou estar num cantinho. Olhar olhos nos olhos também é proibido, porque para eles significa uma ameaça.

O elevador é, por natureza, um ambiente inibidor. Muitas pessoas não sabem como proceder diante dessa repentina e artificial intimidade. Alguns tentam disfarçar o mal-estar desviando o olhar para o painel luminoso que indica o número dos andares. Outros preferem puxar conversa, ainda que seja com algum comentário insosso sobre o tempo.

Vamos agora com as nossas dicas, que já houve papo de antropóloga que chegue. Relacionado com a proximidade, está o advérbio perto que vamos explicar agora em contraste com cerca.

  • PERTO é o contrário de longe. É usado para marcar distâncias espaciais: compro a carne no talho perto da tua casa.
  • CERCA é usado com números, para dar quantidades aproximadas: com cerca de 280 milhões de falantes, o português é hoje a língua mais falada do hemisfério Sul.

Anúncios

2 thoughts on “Escrever: perto, cerca

  1. Pingback: Escrever: perto, cerca

  2. Pingback: Falso amigo: preto | Lusopatia

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s